‘Meu sonho era ser policial’, diz Thairine Garcia, a nova Gisele Bündchen - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

‘Meu sonho era ser policial’, diz Thairine Garcia, a nova Gisele Bündchen

gizele binchemRIO — Thairine Garcia tem apenas 17 anos, mas já ganhou status de top model. A modelo paulista, que só fez sua estreia na São Paulo Fashion Week na temporada de verão 2015, trabalhou com algumas das maiores lendas do mundo da moda. Em Nova York, por exemplo, foi fotografada por Steven Meisel para a capa da “Vogue” italiana e para a campanha de um perfume de Anna Sui. Tom Ford a escalou para um de seus desfiles. Até Carine Roitfeld reconheceu seu talento.— Não pensava em ser modelo. Vim de uma cidade bem pequena, no interior de São Paulo. Meu sonho era ser policial, como a minha mãe — diz Thairine, num dos intervalos da sessão de fotos que fez para a marca carioca Agilità, na sexta-feira, no Rio de Janeiro.

Na campanha, que deve começar a circular nas revistas em março, Thairine interpreta uma mulher independente, cheia de atitude e descontraída. Ela tirou de letra, provando que o título de a nova Gisele Bündchen não é à toa.

— Mas a minha modelo predileta é a Saskia de Brauw. Nos conhecemos em Cannes e ela ficou impressionada por eu ser tão nova e estar na profissão. Ela contou que começou a carreira aos 18 anos, mas desistiu, com medo de ficar sozinha em Nova York. Ela retornou aos 29 — comenta a modelo, que se prepara para mais uma maratona de desfiles, entre fevereiro e março, nos Estados Unidos e na Europa. — Quero muito participar dos shows das grifes Burberry e Versace — acrescenta a menina, que em estações passadas esteve nas passarelas de Marc Jacobs, Max Mara e Blumarine.

CAROL TRENTINI E ANA CLAUDIA MICHELS: AS CONSELHEIRAS

Natural de Barão de Antonina, Thairine Garcia fez sua estreia na indústria da moda aos 12 anos, após participar de uma convenção de modelos, na capital paulista, incentivada por seu irmão. Com o primeiro cachê, ela pagou as despesas da viagem. O segundo, foi investido num tênis e num skate.

— Em São Paulo, recebi ajuda das modelos veteranas. A Carol Trentini e a Ana Claudia Michels são grandes conselheiras. A Carol, inclusive, foi minha intérprete no meu primeiro trabalho em Nova York: um desfile para a Givenchy. Não sabia falar inglês — diverte-se a modelo, que também recebeu uma mãozinha do assistente de Steven Meisel. — Quando fotografei com Meisel pela primeira vez, não entendia o que ele dizia, mas seu assistente tentava me situar, falando um pouco de português e espanhol. Uma curiosidade: Meisel não faz o clique da foto. Ele prepara toda a cena, a luz. Ele é o diretor.

Agora que acabou o Ensino Médio, Thairine morará na Big Apple em tempo integral. Ela, aliás, perdeu algumas oportunidades por estar longe dos grandes centros da moda:

— A Chanel, por exemplo, pediu minhas fotos para as campanhas de perfume e maquiagem, mas não rolava porque eu estava longe e eles não podiam me ver pessoalmente.

O Globo