Milhares são evacuados nas Filipinas durante passagem do tufão Koppu

Milhares são evacuados nas Filipinas durante passagem do tufão Koppu

tufãoResidentes procuram por materiais recicláveis entre as ondas causadas pelo tufão Koppu em Manila. (Foto: REUTERS/Erik De Castro)

Milhares de pessoas tiveram que ser evacuadas durante a passagem do tufão Koppu nasFilipinas, que atingiu neste domingo (18) o norte do país com ventos constantes de 175 km/h e rajadas de até 210 km/h. Pelo menos uma pessoa morreu.

Fontes oficiais das áreas afetadas pelo tufão indicaram que o fenômeno inundou extensas regiões, danificou seriamente a vegetação e plantações e derrubou vários postes elétricos, enquanto foram cancelados 24 voos nacionais e internacionais.

De acordo com a agência de notícias EFE, quatro pessoas morreram e 25 mil foram evacuadas. Já segundo a BBC, apenas uma morte foi confirmada – a de um adolescente que estava em uma casa atingida por uma árvore em Manila – e 15 mil pessoas foram deslocadas.

Além da morte do adolescente, a Associated Press também afirma que uma mulher de 62 anos foi morta em decorrência de uma desabamento na cidade de Subic.

Antes da chegada do tufão, 6,5 mil pessoas já haviam sido evacuadas por questões de segurança pela defesa civil regional.

Alerta
O Koppu tocou a terra na cidade de Casiguran, no litoral nordeste das Filipinas. Espera-se que o tufão permaneça em território filipino durante quatro dias.

Segundo a companhia elétrica Meralco, 200.000 de seus clientes não têm luz, enquanto o Conselho Nacional de Gestão e Redução de Risco de Desastres apontou que duas cidades e 22 povoados do norte das Filipinas se encontram na mesma situação.

Além disso, as autoridades se encontram em alerta pelo possível transbordamento de vários rios, entre eles o Marikina e o Magat, o que causaria mais inundações que poderiam afetar várias localidades.

“Talvez este tufão não tenha os ventos mais fortes que vimos, mas é uma tempestade excepcionalmente perigosa devido à lentidão com a qual se movimenta e a quantidade de precipitações que vai deixar”, afirmou o diretor-executivo do Conselho Nacional de Gestão e Redução de Risco de Desastres do país, Alexander Pama.

Por outra parte, cerca de 5 mil pessoas se encontram em vários portos da região à espera de poder continuar sua viagem, já que foi proibida a navegação de todas as embarcações, enquanto dez estradas e oito pontes da região afetada estão intransitáveis.

Cerca de 30 províncias do norte das Filipinas estão sob alerta, das quais teme-se que Aurora, onde “Koppu” tocou terra, seja a mais afetada.

Entre 15 e 20 tufões atingem todos os anos às Filipinas durante a temporada chuvosa, que geralmente começa em junho e termina em novembro.

Em novembro de 2013, Haiyan, um dos mais potentes da história, deixou 6.300 mortos, mais de mil desaparecidos e 14 milhões de afetados.

Homem segura triciclo infantil enquanto enfrenta ventos fortes durante a passagem de tufão nas Filipinas (Foto: AP Photo/Bullit Marquez)
Homem segura triciclo infantil enquanto enfrenta ventos fortes durante a passagem de tufão nas Filipinas (Foto: AP Photo/Bullit Marquez)
Pessoas tentam se abrigar dos ventos e da chuva em Manila neste domingo (18) (Foto: AP Photo/Bullit Marquez)Pessoas tentam se abrigar dos ventos e da chuva em Manila neste domingo (18) (Foto: AP Photo/Bullit Marquez).
G1.Globo