João Pessoa 19/03/2019

Início » Variedades » “Minha mãe não dorme mais”, diz irmã de personal morto a mando da ex

“Minha mãe não dorme mais”, diz irmã de personal morto a mando da ex

Segundo a PCDF, Daniella Martins pagou R$ 400 para três homens matarem Leison Rocha. Ele e o sócio foram degolados

A família de Leison Rocha (foto em destaque), 28 anos, cogita deixar o Distrito Federal. As incertezas sobre o futuro surgem após investigadores da 38ª Delegacia de Polícia (Vicente Pires) revelarem a suposta trama arquitetada pela ex-namorada do personal trainer, Daniella Martins, 24, para assassinar o antigo companheiro. Segundo a Polícia Civil do DF (PCDF), a mulher teria pagado R$ 400 para três homens cometerem o crime. Todos foram presos.

A autoria do crime foi descoberta três meses depois. Durante todo esse tempo, Daniella teria fingido luto pela morte do ex, segundo a irmã da vítima. “Como eles tinham um relacionamento conturbado, inicialmente, houve uma pequena desconfiança, mas, como ela continuou frequentando a nossa casa, foi ao velório e se mostrou disposta a ajudar, fomos deixando de lado”, disse Luciane Rocha ao Metrópoles.

Luciane conta que “a ficha caiu” quando os investigadores procuraram sua família, que mora em Vicente Pires, para relatar o envolvimento de uma mulher no crime. “A polícia confirmou nossa suspeita. Eles brigavam muito, por motivos fúteis”, ressaltou.

Segundo a irmã, após “mais um dos ataques de Daniella”, Leison decidiu romper o relacionamento, provocando sua ira. “Ela o perseguia, mandava fotos nua na tentativa de reatar o relacionamento, mas, quando viu que não tinha mais jeito, decidiu encomendar o crime”, acredita a irmã.

Quando a PCDF concluiu as investigações e prendeu todos os envolvidos, a família do personal foi tomada por um misto de alívio, raiva e revolta. “Nos sentimos profundamente traídos. Ela estava todos os dias na nossa casa. Meu irmão fazia tudo por ela. Tem sido difícil. A minha mãe já não dorme direito”, destacou Luciane.

O crime
Um sócio de Leison estava com ele no dia do crime e também acabou executado, mesmo não sendo alvo. Os dois foram assassinados no Assentamento 26 de Setembro, em Vicente Pires, em 12 de dezembro de 2018.

Ao delegado Rafael Sampaio, titular da 38ª Delegacia de Polícia (Vicente Pires), a jovem admitiu ter contratado os homens para baterem em Leison. No entanto, o trio confirmou que ela pediu para matar o ex-namorado.

Reprodução/Facebook

Leison e Daniella, segundo irmã da vítima, tinham relacionamento conturbado

De acordo com a polícia, o grupo simulou a compra de vários pares de tênis vendidos por Leison e pediu para que ele fosse até a casa de um dos criminosos. Lá, o personal e o sócio – que não teve o nome divulgado – foram amarrados e levados até a zona rural de Vicente Pires no bagageiro do carro.

Os executores degolaram as vítimas e fugiram levando dinheiro, objetos de valor e vários pares de tênis. Depois da apreensão da faca utilizada por eles e a prisão dos quatro envolvidos, a polícia considera a investigação finalizada.

Metrópoles