Moradores protestam por morte de homem em João Pessoa; Segurança explica o caso - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Moradores protestam por morte de homem em João Pessoa; Segurança explica o caso

protesto S. JoséCerca de 200 moradores do Bairro São José, na Zona Leste de João Pessoa, bloquearam a Avenida Senador Ruy Carneiro, na tarde desta quarta-feira (14). De acordo com as informações fornecidas pela Polícia Militar, os manifestantes pediam justiça pela morte de um morador do bairro.

Na ação, os manifestantes queimaram pneus e madeiras, impedindo o fluxo do trânsito nos dois sentidos da via. O congestionamento acabou se estendendo para a Avenida Epitácio Pessoa.

A Superintendência de Mobilidade Urbana orientou como rota alternativa a Avenida Beira Rio, no sentido Centro/Praia, ou pela Maria Rosa no percurso inverso.

A avenida foi liberada cerca de uma hora depois do início do protesto, que começou por volta das 15h.

Trânsito fica congestionado na Avenida Senador Ruy CarneiroFotoTrânsito fica congestionado na Avenida Senador Ruy Carneiro
CréditosReproduçãoA Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social divulgou uma nota esclarecendo sobre a morte do homem e o caso reivindicado.

“A respeito de protesto realizado nesta quarta-feira (14) na Avenida Rui Carneiro, em João Pessoa, e de denúncias sobre a prisão ilegal e violência praticadas pela Polícia Civil da Paraíba e que teriam gerado a morte de Ritche Ribeiro de Sousa, 30 anos, no bairro São José, a Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social esclarece que:

A prisão de Ritche Ribeiro Sousa, 30, foi realizada pela Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Capital, no dia 9 de maio deste ano. O flagrante aconteceu de acordo com a lei, visto que com o preso foi encontrado meio quilo de crack, em porções de 50g, prontas para a venda, e todo o procedimento da Polícia foi assistido pela família de Ritche, que é condenado por assalto (Processo nº 4369391820068152002) e estava sob liberdade condicional.

Ainda de acordo com a DRE, o preso passou mal durante o deslocamento da casa onde morava para a delegacia e imediatamente foi encaminhado para Complexo Hospitalar de Mangabeira Governador Tarcísio Butity (Ortotrauma de Mangabeira). Segundo informações prestadas pela equipe médica de plantão, que realizou os primeiros atendimentos, o paciente não apresentava sinais de violência, mas sim sintomas de uso de entorpecentes, infecção renal e sofreu uma lavagem estomacal. No mesmo dia, a família e o advogado foram comunicados do fato pela Delegacia e receberam os documentos ao flagrante. Desde então o preso permaneceu no hospital até falecer na manhã desta quarta-feira (14).

Duas outras pessoas, presas na mesma operação em que Ritche foi pego com a droga pela Polícia, foram submetidas a exame de corpo de delito no IPC, que comprovou a ausência de violência. O Instituto também irá realizar exame no corpo de Ritche, cujo resultado será divulgado.

Em 2014, a DRE já realizou a apreensão de mais de 380 quilos de drogas na região metropolitana de João Pessoa, entre maconha, crack e cocaína. A ação tem descapitalizado traficantes, que se organizam para frear o trabalho realizado pela Polícia Judiciária. Contudo, as investigações, prisões e apreensões policiais não deixarão de acontecer nos bairros da Capital, inclusive no bairro São José, onde houve o protesto”.

 

Portal Correio