Morre Carlinhos, ídolo do Flamengo na década de 60

carlinhos-violinoCarlinhos, um dos maiores ídolos da história do Flamengo, morreu nesta segunda-feira (Foto: Site Oficial Flamengo)

Luiz Carlos Nunes da Silva, o Carlinhos, um dos maiores jogadores da história do Flamengo, faleceu nesta segunda-feira, aos 77 anos, vítima de insuficiência cardíaca. Violino, como era conhecido por sua classe e elegância na forma que jogava, ficou marcado por títulos e uma passagem vitoriosa como treinador.

Atuou pelo clube durante 1958 até 1969 ganhando dois campeonatos cariocas (1963 e 1965), além do Rio São Paulo de 1961, um dos  maiores títulos da história do clube, batendo o Santos de Pelé por 5 a 1, no Pacaembu, durante o torneio. Recebeu o Prêmio Belfort Duarte, por nunca ter sido expulso de campo.
Ao iniciar a carreira recebeu as chuteiras de Biguá, grande jogador do clube. Em sua despedida repetiu o gesto passando suas chuteiras para uma grande promessa do clube, Arthur Antunes Coimbra, o Zico.
Voltou ao clube como treinador. Ao todo foram sete passagens no comando técnico da equipe. A primeira foi uma pequena participação no Campeonato Brasileiro de 1983, ao substituir Paulo César Carpegiani como interino, antes da chegada de Carlos Alberto Torres. Em 1987 se tornou Campeão da Copa União dirigindo o time de Zico, Renato Gaúcho e Bebeto. Voltou ao clube em 1991, ganhando o Campeonato Carioca. Em 1992 ganhou mais um Brasileiro. Em sua última passagem, deu início ao Tricampeonato em cima do Vasco, com os títulos cariocas de 1999 e 2000. Além do último sul-americano do Rubro-Negro, na vitória sobre o Palmeiras, em 1999, que valeu a Copa Mercosul.
Em 12 de fevereiro de 2011 foi eternizado no clube com a “Praça Carlinhos”, onde fica um busto, feito em sua homenagem.
Esporte Interativo