João Pessoa 17/12/2018

Início » Variedades » Morro da Boa Esperança desmorona em Niterói

Morro da Boa Esperança desmorona em Niterói

Motivo do desmoronamento foi uma pedra que rolou do alto da comunidade

Rio – Um desmoronamento na Estrada Francisco da Cruz Nunes, no Morro da Boa Esperança, em Niterói, na Região Metropolitana, deixou três mortos e, ao menos, nove feridos. Segundo o Corpo de Bombeiros, a corporação foi acionada por volta das 5h deste sábado e cinco casas teriam sido atingidas. Os Bombeiros, agentes da saúde, assistentes sociais, Defesa Civil, Secretaria de Obras, de Conservação e Serviços Públicos estão no local e fazem um levantamento para avaliar a gravidade da situação.

Até o momento, duas vítimas foram identificadas. O nome delas é Janete e Claudiomar. Já os entre os feridos estão um bebê e mulher, que foram socorridos para hospital Estadual Azevedo Lima. Ainda não há informações sobre o estado de saúde deles.

“Choveu muito em Niterói nesses últimos dias e o município estava em estágio de alerta e as pessoas estavam avisadas para buscar locais seguros”, informou o comandante do Corpo de Bombeiros, Roberto Robadey. O trabalho dos bombeiros devem durar pelo menos 48 horas.

Já o presidente da associação de moradores, Claudio dos Santos, disse que as casas estavam interditadas pela Defesa Civil, mas os moradores não queriam sair. “Cheguei a avisar que estava preocupado com a chuva, que era para saírem, mas morador é complicado”.

Morro da Esperança desmorona em Niterói – Reprodução Facebook

A dona de casa Bia Lima, de 34 anos, relatou que o momento do deslizamento “foi parecido como um estrondo de transformador explodindo”. “As pessoas que estava passando na rua, acredito que seja pra trabalhar, começaram a gritar desesperadas”, lembrou a mulher. Moradores também relataram que choveu na região por quatro dias consecutivos.

O motorista Edson Vanderson Santos, de 40 anos, relatou que entre os mortos está o seu amigo — carinhosamente conhecido como “Peroba”. “Sempre pedi pra ele sair porque tinha uma pedra e um barranco. Onde ele morava, infelizmente, era horrível mas ele precisava morar. Estou arrasado com o que aconteceu”, diz o homem que durante todo o tempo acompanhava a remoção dos corpos e do escombro.

Questionada sobre a política de prevenção de acidentes deste tipo, a Prefeitura de Niterói informou que, desde 2013, investiu R$ 150 milhões em obras de contenções de encostas na cidade.

Morro do Bumba

Há oito anos, Niterói sofreu tragédia semelhante: 46 pessoas morreram no desmoronamento do Morro do Bumba. O principal motivo para a catástrofe foi a construção de casas em um terreno instável, onde no passado havia um lixão.

De lá para cá, a região voltou a ser habitada, pois moradores alegam que com o dinheiro recebido pelo aluguel social, de R$ 400, não conseguem pagar uma casa que não seja em área de risco.

O Dia