MP-SP pede que Alexandre Nardoni passe por Teste de Rorschach antes de progressão para regime semiaberto

MP-SP pede que Alexandre Nardoni passe por Teste de Rorschach antes de progressão para regime semiaberto

O promotor Luiz Marcelo Negrini de Oliveira Mattos encaminhou à juíza Sueli Zeraik Oliveira Armani um ofício onde solicita que o preso passe pelo Teste de Rorschach

O Ministério Público de São Paulo pediu mais um exame à Justiça antes da progressão de Alexandre Nardoni para o regime semiaberto. O promotor Luiz Marcelo Negrini de Oliveira Mattos encaminhou à juíza Sueli Zeraik Oliveira Armani um ofício onde solicita que o preso passe pelo Teste de Rorschach.

Esta é uma avaliação psicológica que consiste em que apresentar desenhos na forma de borrões de tintas e perguntar ao paciente a interpretação dele sobre as figuras.

O representante do MP entende que o teste é necessário porque os atestados apresentados até agora não seriam suficientes para embasar a progressão de regime do condenado.

Alexandre Nardoni, preso desde 2008 por envolvimento na morte da filha Isabella, obteve um parecer favorável para passar ao regime semiaberto. O exame criminológico apontou que ele tem ótima conduta e que já reuniria condições de trabalhar fora da penitenciária de Tremembé e voltar para unidade durante a noite.

O pedido de progressão foi feito pela defesa do condenado em setembro.

A pena de Nardoni é de 30 anos e dois meses de prisão; a esposa dele, Anna Carolina Jatobá, já está no semiaberto desde outubro do ano passado.

A reportagem procurou o advogado Roberto Podval, que defende Alexandre, mas ele não quis se pronunciar. O Ministério Público não respondeu ao pedido de entrevista com o promotor Luiz Marcelo Negrini de Oliveira Mattos até o fechamento desta matéria.

Jovem Pan