MPL insiste em trajeto vetado pelo governo e protesto termina em novo confronto

protesto são pauloTumulto entre manifestantes e policiais militares. Manifestação contra o aumento da tarifa do transporte público, o 5ª ato convocado pelo MPL (Movimento Passe Livre), em São Paulo (SP)(Nelson Antoine/FramePhoto/Folhapress)

Terminou mais uma vez em confronto com a Polícia Militar manifestação convocada pelo Movimento Passe Livre contra o reajuste das tarifas de transporte público em São Paulo. Horas antes do protesto, o MPL divulgou nas redes sociais o trajeto da passeata, que partiria do Terminal Parque Dom Pedro rumo à Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), passando pela Avenida 23 de Maio. A Secretaria de Segurança Pública do Estado informou pouco depois que a rota estava vetada, tendo em vista que outro protesto era realizado próximo dali. Além disso, alegou o governo, o ato inteferiria no trânsito já carregado da 23. Os manifestantes, contudo, se negaram a seguir o trajeto alternativo.

Quando o protesto chegou à Praça da República, a polícia fez um cordão para isolar os manifestantes e impedir o prosseguimento do ato. O coronel Henrique Motta tentou negociar, sem sucesso. A PM, então, estabeleceu que o ato não passaria dali. Os manifestantes fizeram uma contagem regressiva e ameaçaram se lançar contra o bloqueio. Foram impedidos por uma chuva de bombas de gás lacrimogêneo, balas de borracha e gás de pimenta. Pelo menos nove pessoas ficaram feridas.

Veja