Mulher é suspeita de matar o amante, ficar com celular dele e atear fogo em carro

Mulher é suspeita de matar o amante, ficar com celular dele e atear fogo em carro

Será encaminhada para o Presídio Feminino Maria Júlia Maranhão, situado em João Pessoa, a mulher presa nesta sexta-feira (12) suspeita de praticar um homicídio na cidade de Guarabira, interior da Paraíba.

Marília de Carvalho Marinho, de 22 anos, foi presa na cidade de Bananeiras (PB), por policiais civis e militares. Contra ela, havia um mandado de prisão preventiva em aberto, expedido pela Comarca de Guarabira.

Segundo informações repassadas pelo delegado Hugo Lucena, a presa é apontada pelas investigações como autora da morte do comerciante Pedro Morais de Medeiros Neto, de 38 anos. Os dois eram sócios e possuíam uma relação amorosa e extraconjugal.

No momento da prisão, Marília estava de posse do celular do comerciante. O telefone passará por perícias, para subsidiar as investigações.

Segundo o delegado, a vítima era natural da cidade de Patos e viajou até Guarabira no dia 8 de junho deste ano, quando foi assassinado a tiros. O crime ocorreu nas imediações do Memorial Frei Damião.

“Carro, documentos e pertences da vítima desapareceram do local do fato”, afirmou o delegado.

Após ser presa, Marília contou aos policiais o local onde o veículo estava escondido. O carro localizado na cidade de Barra de Santa Rosa (PB), totalmente queimado e “depenado”. O local fica distante 97 quilômetros de Guarabira.

O veículo foi periciado. Para a polícia, não há dúvidas sobre a autoria do crime. “A acusada confessou a autoria do crime e alegou ter matado, porque era chantageada por Pedro”, destacou o delegado.

Marília será submetida a exame de corpo de delito e apresentada à justiça durante audiência de custódia. Em seguida, será encaminhada ao presídio feminino de João Pessoa.

ParaibaJá