Mulheres moçambicanas apelam à paz no país

mulherres moçanbikeAs mulheres saíram à rua pela manutenção e preservação da paz. A iniciativa da Organização da Mulher moçambicana pretende apelar ao Governo e à Renamo, principal força de oposição no país, para que parem com os ataques e que as diferenças políticas se resolvam através do diálogo.

Uma mensagem clara ao Governo e à Renamo, principais actores da tensão político-militar que se vive no país há mais de um ano, 300 mulheres marcharam neste sábado em Maputo pela consolidação da paz.

Maria da Luz Guebuza, esposa do chefe de Estado, aderiu à manifestação: “Viemos aqui para gritarmos como mulheres, “não queremos a guerra, queremos a paz”, em paz podemos construir o nosso país, em paz as crianças podem estudar, em paz as mulheres podem continuar a produzir”.

Promovida pela organização da mulher moçambicana, a marcha pela consolidação da paz decorreu nas onze capitais provinciais.

A marcha nacional, que fez um apelo para que o Governo e a Renamo ultrapassassem as diferenças políticas através do diálogo e não pela via armada, enquadra-se no âmbito do 7 de Abril, dia da mulher moçambicana que se assinala na próxima segunda-feira.

Mais pormenores com o nosso correspondente em Maputo, Orfeu Lisboa

 

RFI