Na Paraíba, líder do Governo na Câmara dos Deputados evita avaliar relação de Julian Lemos com presidente Jair Bolsonaro

Na Paraíba, líder do Governo na Câmara dos Deputados evita avaliar relação de Julian Lemos com presidente Jair Bolsonaro

Líder do Governo Jair Bolsonaro na Câmara Federal, o deputado Major Vitor Hugo, do PSL, está na Paraíba para participar de um evento sobre Segurança Pública e, durante entrevista evitou polemizar a relação do colega de bancada, Julian Lemos (PSL) e o presidente da República, sobretudo após as animosidades entre o parlamentar e um dos filhos do Chefe do Planalto.

Segundo Vitor, como ele nunca foi tão próximo do presidente, a exemplo de Julian, não poderia mensurar qual seria o grau de proximidade ou de distanciamento dos dois.

“O Julian Lemos foi e é um soldado do presidente Bolsonaro aqui na Paraíba, ainda, e nós sabemos disso. Contribuiu muito durante anos, na pré-campanha e na campanha do presidente Bolsonaro, e ajudou a trazer muitos votos como coordenador, não apenas na Paraíba, mas no Nordeste como um todo. Eu lembro de ter encontrado com ele diversas vezes no gabinete do então deputado Bolsonaro, sei que eles têm uma relação próxima. Eu não consigo avaliar o grau de proximidade ou de distanciamento dele como presidente porque é a relação de duas pessoas que extrapolam minha opinião. Não é um grupo de três pessoas, eles eram próximos a despeito da minha relação com o presidente. Eu não consigo avaliar. Quem tem que responder isso é o presidente ou o próprio Julian”, desconversou.

Apesar de ter driblado a pergunta, o líder fez questão de elogiar o trabalho de Julian na Câmara e até prospectar voos mais altos do colega de parlamento, em um futuro próximo.

“Eu sei que ele tem feito um trabalho excepcional na Câmara dos Deputados, representando a Paraíba. O PSL conta com a determinação e a força dele. Estivemos na semana passada em um jantar com outros líderes e tenho certeza que ele faz um grande trabalho e tem um potencial para ir mais longe ainda”, ressaltou.

As declarações repercutiram em entrevista ao Correio Debate

 

PB Agora