'Não existe nenhum nepotismo', diz prefeito de João Pessoa sobre nomeação de irmão gêmeo

‘Não existe nenhum nepotismo’, diz prefeito de João Pessoa sobre nomeação de irmão gêmeo

Luciano Cartaxo participou de entrevista na CBN João Pessoa nesta quarta-feira (9) — Foto: Aline Oliveira/Jornal da Paraíba

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), explicou a nomeação do irmão gêmeo, Lucélio Cartaxo (PV), para chefia de gabinete na manhã desta quarta-feira (9) em entrevista à CBN João Pessoa. Para o prefeito, o caso não pode ser considerado nepotismo porque o Supremo Tribunal Federal (STF) permite, em uma de suas súmulas, a nomeação de secretários com parentesco próximo.

“Lucélio é um agente político, ele assumiu um cargo político como chefe de gabinete, não tem relação com nepotismo. Lucélio tem esse perfil, tem um trabalho significativo prestado à cidade de João Pessoa, trabalho realizado de longas datas. Estamos tranquilos com relação a isso, não existe nenhum grau de nepotismo na Prefeitura de João Pessoa”, explicou Luciano.

Ainda de segundo informações do prefeito, o irmão gêmeo vai trabalhar na união e diálogo das secretarias da Prefeitura de João Pessoa para que a gestão se torne mais homogênea. Luciano Cartaxo anunciou mudanças em oito pastas da prefeitura na noite de segunda-feira (7). Os anúncios foram feitos pelo próprio gestor através de uma rede social.

As mudanças são em cinco secretarias, uma chefia, uma coordenadoria e uma superintendência. Além do irmão gêmeo, Lucélio Cartaxo, que assumiu a Secretaria de Chefia de Gabinete, foram nomeados:

  • Diego Tavares para Secretaria Desenvolvimento Social (Sedes);
  • Zennedy Bezerra para a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb);
  • Sachenka da Hora na Secretaria de Infraestrutura;
  • Lauro Montenegro para Secretaria de Administração.

Na entrevista da manhã desta quarta-feira aos jornalistas Patrícia Rocha e Laerte Cerqueira, Luciano Cartaxo também respondeu perguntas de ouvintes. Foram abordados temas como mobilidade urbana, nova tarifa de ônibus, vendedores ambulantes, educação, reforma da barreira do Cabo Branco, reforma nos mercados públicos, saúde, guarda municipal e relação com outros governos.

Tarifa

“Cabe ao Conselho de Mobilidade Urbana definir. O conselho deve ser reunir, ainda não tive uma conversa com a Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob). Todos os anos a gente tem essa discussão, que é uma discussão histórica no Brasil, nas capitais. Acredito que até a sexta-feira (11) vamos ter uma definição a respeito da nova tarifa dos ônibus de transporte público”.

Ambulantes

“Não recebemos a cidade sem esse problema, é um problema histórico. E quando tem um período de crise, o comércio informal aumenta. As pessoas passam a usar o comércio informal para sobreviver. Os shoppings populares não deram a resposta que se esperava. Fizemos uma mudança na Sedurb, estamos buscando alternativas, temos que garantir o direito de ir e vir. Estamos fazendo um levantamento, porque não adianta fazer shopping popular para depois de seis meses o comerciante voltar às ruas por falta de movimento de clientes nesses locais”.

Mobilidade Urbana

“Estamos concluindo nos próximos 90 dias, concluindo plano municipal de mobilidade, com pesquisa domiciliar, por meio da semob. Pegamos o destino das pessoas, discutimos a mobilidade como um todo mundo. Levamos em consideração os transportes coletivos, Uber, taxi, todas as questões estão sendo elaboradas com audiências públicas. Vamos finalizar e apresentar à cidade, não vamos fazer nenhuma mudança experimental. As capitais vão ter que se adequar. João Pessoa parte na frente nesse sentido, a partir desse plano vamos ter melhorias, é um estudo científico”.

Educação

“Lançamos uma colônia de férias para os estudantes da rede municipal, incluído das creches, um entendimento para os pais continuem trabalhando ou em busca de trabalho em janeiro e deixem seus filhos em espaços seguros. Vamos entregar mais uma escola integral no Parque do Sol. Fomos quem mais fez creches, desde 2013 pagamos o piso salarial dos professores e vamos pagar o prêmio escola nota 10, pagamento do 14º salário, que fazemos desde 2013”.

Recuperação da barreira

“Fizemos uma licitação para empresas elaborarem projetos de recuperação da barreira do Cabo Branco. Uma empresa ganhou e executamos a primeira etapa, que era a drenagem da área. O projeto tem um valor de R$ 65 milhões e precisamos da liberação do governo federal para executarmos as demais etapas, a Prefeitura não tem recurso para executar sozinha. Apresentamos o projeto ao Ministério da Integração e somente no ano passado tivemos uma resposta. Esse projeto já tem valores definidos e esses valores já foram empenhados. Assim que tivermos a liberação do governo federal, damos início à segunda etapa, que é o ancoramento no pé da barreira, para depois fazermos a engorda e os gabiões na parte marítima”.

Reformas em mercados

“Fizemos o mercado da Torre com novo padrão de qualidade, região residencial, mas também muito comercial. Estamos concluindo o mercado de Jaguaribe, vamos ter um espaço com atividades culturais nesse local e fizemos a licitação do mercado de Oitizeiro. Existe um debate do merca do Castelo Branco, buscando uma alternativa. Temos também um projeto elaborado para o mercado do Bairro dos Estados. Vamos concluir Jaguaribe e definir como proceder em Oitizeiro, mas o próximo será Estados ou Castelo”.

Diálogo

“Minha trajetória é do diálogo, entendimento, de buscar solução conjunta. Nesse seis anos sempre procurei separar divergência política da divergência administrativa, do interesse da população. Durante os últimos anos o governo do estado que não quis diálogo com a Prefeitura de João Pessoa para fazer obras em conjunto, o governador queria competir com a prefeitura. Temos algumas parcerias, na questão dos serviços públicos, mas nas obras o governo estadual sempre quis resolver as coisas sozinhos, mas a cidade não sofreu com isso. A cidade tem orgulho, a cidade está bem cuidada e tratada. João Pessoa deixou de ser uma cidade espremida entre Natal e Recife”.

G1