Naufrágio no Caribe mata 13 turistas, mas brasileira sobrevive.

naufrágio caribe 1CORN ISLAND — Um naufrágio próximo ao Sul da Nicarágua matou 13 turistas que viajavam por ilhas do Caribe na madrugada deste domingo, dia 24, conforme informou a porta-voz do governo nicaraguense, a primeira-dama Rosario Murillo. A lancha tinha 34 pessoas a bordo, e, entre os 21 sobreviventes, está uma brasileira, identificada pelas autoridades locais como Dulce Blank. Todos os turistas mortos, a maior parte deles mulheres, eram cidadãos da Costa Rica, país onde Dulce também mora. Segundo Rosario Murillo, os corpos e os sobreviventes foram levados para a ilha vizinha de Corn Island. Além da brasileira, 13 costarriquenhos, dois britânicos e dois americanos saíram do acidente com vida.

Segundo uma investigação preliminar, a embarcação virou em consequência dos fortes ventos. O capitão do barco, Hilario Blandón, e seu ajudante, ambos nicaraguenses, foram detidos na chegada a Corn Island. Os dois serão acusados pelos crimes de homicídio culposo e exposição de pessoas ao perigo, de acordo com o vice-comandante de polícia Francisco Díaz.

— É uma grande tragédia. Estamos falando de 21 pessoas encontradas com vida e 13 mortas. Ainda não conseguimos resgatar quatro corpos — disse a primeira-dama, por meio dos órgãos de comunicação do governo.
Membros da Polícia Nacional e da Marinha da Nicarágua cobrem os corpos dos 13 turistas mortos no píer de Corn Island – STR / AFP
Segundo ela, o presidente nicaraguense Daniel Ortega ordenou que a Força Naval inicie uma investigação.

— O presidente pediu que a responsabilidade dos que conduziam a embarcação seja determinada e que sejam cumpridos os processos penais correspondentes — afirmou a primeira-dama. — Os passageiros eram turistas que estavam de férias na pequena ilha de Corn Island e zarparam apesar da indicação de que não poderiam zarpar.

Para o comandante da Força Naval, o contra-almirante Marvin Elías Corrales, a tragédia estava anunciada.

— Foi uma ação temerária do dono da embarcação, que, sabendo como está a situação, se presta a fazer as viagens ao custo do risco das pessoas — criticou ele.

BRASILEIRA SE MUDOU DO RS PARA A COSTA RICA

De acordo com o perfil de Dulce Blank no Facebook, ela nasceu em São Lourenço do Sul, no RS, e vive na cidade de Santa Ana, na Costa Rica. Alguns comentários recentes de amigos na rede social se referem ao acidente: “Graças a Deus que você saiu com vida deste naufrágio”, postou um usuário. Outra amiga comentou: “Minha querida Dulce, espero que esteja bem… Estamos preocupados com seu bem-estar. Um abraço de paz e tranquilidade”.

O presidente Ortega determinou uma agilização dos trâmites para o traslado neste domingo dos corpos das vítimas a San José. Além disso, a Força Naval da Nicarágua redobrou a segurança para impedir que outras pequenas embarcações iniciem viagens sem permissão. Os corpos das vítimas serão levados até o aeroporto de Manágua, capital do país, onde passarão por autópsia antes de serem enviados à Costa Rica, disse a porta-voz da presidência.

O governo da Costa Rica lamentou a tragédia e expressou solidariedade às famílias das vítimas. Também prometeu que a embaixada e os consulados do país na Nicarágua prestarão todo o apoio necessário.

O Globo