Náutico fica no empate, mas avança na Copa do Nordeste

Mesmo sem ter feito uma boa apresentação, o Náutico quebrou o tabu de nunca ter passado da fase de grupos da Copa do Nordeste desde a mudança de regulamento do certame, em 2013. Na tarde deste sábado (30), o Timbu empatou em 1×1 com o Vitória/BA, no Barradão, em Salvador. Ruy abriu o placar para os donos da casa e Odilávio deixou tudo igual. Os gols saíram no primeiro tempo da partida. O resultado classificou as duas equipes à próxima fase, contando com resultados negativos de outros times na rodada. O Náutico enfrentará o Ceará na primeira rodada do mata-mata.

Jogo

O Náutico teve um início de jogo ruim, com muitos erros de passe, mas também de posicionamento, com um afastamento entre as linhas de defesa e de meio campo que possibilitou espaço para o Vitória jogar. Em dez minutos, o Vitória chegou ao menos duas vezes na cara do goleiro Bruno, que salvou o Timbu como pôde, mas não conseguiu evitar o gol de Ruy, aos 11. Assis falhou na marcação e ninguém apareceu para impedir o belo chute do meia, que arriscou de longe, de perna esquerda, e se deu bem. O Náutico sentiu o gol, demorou a se organizar e só finalizou realmente com perigo aos 29 minutos.

Aos 33, após Thiago iniciar jogada pela ponta direita, Jorge Henrique conseguiu um cruzamento na medida para Odilávio, que escorou de cabeça para empatar o placar. Depois disso, o Náutico melhorou ofensivamente, teve mais posse de bola, mas continuou sofrendo alguns sustos, mesmo com o Vitória caindo de rendimento. O time pareceu sentir a ausência do atacante Robinho, vetado por conta de dores no joelho direito, que tem boa presença ofensiva, mas contribui defensivamente. Seu substituto, Jorge Henrique, não conseguiu a mesma solidez.

No segundo tempo, o Náutico voltou a cometer os mesmos deslizes de marcação, permitindo ao Vitória levar perigo ao gol de Bruno. A reação só veio depois dos 24 minutos, com a entrada de Wallace Pernambucano, protagonista das melhores oportunidades do time alvirrubro. Como os dois times precisavam de um resultado positivo para conquistar a classificação sem depender de outros resultados e o tempo ficava cada vez mais curto, eles buscavam o ataque de toda maneira. Lá e cá, as chances até surgiram, mas não conseguiram as converter em gols.

O fato curioso é que o Vitória alcança a classificação sem ter vencido um jogo sequer na fase de grupos. Foram sete empates e uma derrota em oito rodadas. E, após o final da partida, o Náutico, que somou 15 pontos na primeira fase, ainda aguardou a confirmação da derrota do Bahia para o Sampaio Corrêa para poder comemorar a vaga, enquanto os baianos, com sete pontos, já estavam garantidos. O cenário mostra o quanto o Grupo B foi mais disputado que o A nesta primeira fase.

Ficha do jogo:

Vitória 1
João Gabriel; Jefferson, Victor Ramos, Edcarlos e Fabrício; Léo Gomes, Paulo Victor (Rodrigo Andrade), Ruy e Yago; Andrigo (Erick) e Neto Baiano. Técnico: Cláudio Tencati

Náutico 1

Bruno; Hereda, Sueliton, Diego Silva e Assis; Josa, Luiz Henrique e Danilo Pires (Maylson); Jorge Henrique, Thiago e Odilávio (Wallace Pernambucano). Técnico: Márcio Goiano

Local: Barradão (Salvador/BA)
Árbitro: Eduardo de Santana Nunes (SE)
Assistentes: Cleriston Clay Barreto Rios e Ailton Farias da Silva (ambos de SE)
Gols: Ruy (11 minutos do 1ºT) e Odilávio (33 minutos do 1ºT)
Cartões amarelos: Paulo Vitor, Fabrício, Neto Baiano (Vitória); Danilo Pires, Suélinton (Náutico)
Público: 5.271
Renda: R$ 36.982

Folha de Pernambuco