No dia em que PT define apoio, membro da sigla em Campina Grande defende aliança com PMDB já no1º turno

Hermano NeponucenoNo dia do encontro em que o Partido dos Trabalhadores decidirá se terá candidatura própria ou vai apoiar a candidatura do PMDB reeditando na Paraíba, a aliança nacional, o suplente de vereador em Campina Grande, professor Hermano Nepomuceno, defendeu a aliança já no primeiro turno.

Em entrevista concedida hoje, Hermano que é membro do PT na Rainha da Borborema, disse que o futuro do partido no estado estará nas mãos dos 300 delegados que tem direito a voto, e que vão decidir que caminho a legenda irá trilhar nas eleições deste ano.

Ele afirmou que vão ser analisadas as posições dos outros delegados durante a reunião, mas que, em conversa com os companheiros da bancada campinense, ficou decidido o apoio à aliança com o PMDB no primeiro turno das eleições.

– Nós fizemos ontem uma reunião dos companheiros nossos, aqui em Campina Grande, e fomos discutir a posição. É claro que nós vamos defender a aliança com o PMDB para o primeiro turno – destacou.

Hermano lembrou que nas últimas eleições os dois partidos marcharam juntos na Paraiba, sendo que em Campina Grande, a gestão do então prefeito Veneziano contou com a parceria bem sucedida com a presidente Dilma Rousseff.

– A tendência, que estou percebendo, é favorável à coligação com o PMDB no primeiro turno, mas não éfácil. Nesse momento a tarefa é garantir a aliança PT e PMDB no primeiro turno da Paraíba, é com essa tarefa que nós vamos para o encontro estadual – ressaltou.

Ele concluiu dizendo que o partido vai ponderar a questão de nomes e disponibilidades, mas a chapa para renovação da Paraíba contaria com os nomes de Veneziano como governador, Leonardo Gadelha como vice e Lucélio Cartaxo para candidatura ao Senado.

ENCONTRO NESTE SÁBADO

Trezentos delegados do Partido dos Trabalhadores se reúnem hoje, a partir das 9h, no Sindicato dos Bancários em João Pessoa, para debater sobre duas teses internas. Uma que defende a candidatura própria e outra sobre a continuidade do diálogo e possibilidade de aliança com PMDB.

Segundo o presidente do PT na Paraíba, Charliton Machado, os delegados terão autonomia paraescolher qual o caminho a ser seguido pelo partido nas eleições deste ano. “Teremos esse debate interno para que os companheiros definam sobre nossa posição nas eleições de outubro. O que ficar definido, vamos seguir”, destacou.

Caso seja acatada a tese de candidatura própria, o PT vai iniciar as conversas com outras legendas para fortalecer o nome da professora Nadja Palitot. “Se ficar definido essa posição, vamos seguir o caminho construindo um calendário de diálogo com as oposições no Estado”, disse.

Se a tese for a de apoio a candidatura do ex-prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo, o partido deve passar a deliberar sobre a composição da chapa majoritária. “Se a definição for pela composição também montaremos um calendário de discussão sobre esse assunto”, garantiu.

Para se concretizar a aliança com o PT e o PSC, o senador peemedebista Vital do Rêgo Filho revelou que o PMDB dará a essas legendas a liberdade para decidir sobre qual vaga ocupar, a vice ou a do Senado na chapa majoritária. “Nós estamos conversando com todos os partidos que fazem oposição ao modelo de governo que está colocado na Paraíba” destacou o senador.

Severino Lopes 

PBAgora