Nos pênaltis, Portugal bate a Polônia e está na semi

Nos pênaltis, Portugal bate a Polônia e está na semi

portugal bate poloniaPortugal está na semifinal da Eurocopa 2016. A classificação diante da Polônia foi sofrida e veio apenas nos pênaltis, após empate por 1 a 1 no tempo regulamentar e na prorrogação. O vilão da noite acabou sendo Blaszczykowski, que desperdiçou a quarta batida polonesa, defendida por Rui Patrício. Na sequência, Quaresma converteu a última cobrança e definiu o triunfo por 5 a 3.

Na próxima fase, a equipe de Cristiano Ronaldo enfrenta o vencedor do duelo entre País de Gales e Bélgica, nesta sexta-feira, às 16h, em Lille. ABand transmite tanto o jogo entre galeses e belgas como a semifinal, marcada para a próxima quarta-feira, às 16h, em Lyon.

OS GOLS

Lewandowski (Polônia) – 1 minuto do 1º tempo – Após inversão de jogo, o lateral português Cédric tenta afastar e erra a bola, que sobra para Grosicki. O camisa 11 vai ao fundo e cruza rasteiro para Lewandowski, que bate de primeira para abrir o placar. Foi a primeira vez que o centroavante marcou nesta Euro.

Renato Sanches (Portugal) – 33 minutos do 1º tempo – O meia pega a bola pela direita, tabela com Nani, recebe, ajeita e finaliza de esquerda, da entrada da área. A bola desvia e entra no canto esquerdo de Fabianski. Foi o primeiro gol sofrido pelos poloneses nesta Euro.

ANÁLISE DO REPÓRTER DO PORTAL DA BAND

O jogo mal havia começado e a Polônia já estava na frente graças ao gol de Lewandowski. A vantagem moldou a postura dos poloneses, que montaram acampamento na defesa e passaram a explorar contra-ataques. Apesar de ter a bola, Portugal não conseguia criar chances de perigo. A sorte mudou por causa do talento do jovem Renato Sanches, que tabelou com Nani e empatou ainda na primeira etapa. O segundo tempo continuou equilibrado. A Polônia teve uma boa oportunidade com Milik, que antecipou Pepe e finalizou para boa defesa de Rui Patrício. No entanto, as melhores chances foram lusas. Aos 33, Jedrzejczyk cortou passe de Pepe para CR7 e quase mandou para o próprio gol. Aos 40, a melhor da partida: Moutinho deu lançamento perfeito para Cristiano na altura da marca do pênalti; o atacante se ajeitou para soltar uma bomba, mas acabou furando e a bola parou tranquilamente com Fabianski. Logo no primeiro minuto da prorrogação, CR7 teve outra grande chance e mais uma vez errou a bola, desta vez de dentro da pequena área depois de passe vindo da esquerda. Do outro lado, a melhor oportunidade nos 30 minutos de tempo extra foi um cruzamento de Piszczek que passou por toda a pequena área, mas ninguém alcançou. O duelo foi para os pênaltis, que tiveram em Blaszczykowski o vilão da noite. Depois de um show de precisão, o meio-campista polonês errou a quarta cobrança, defendida por Rui Patrício. Na sequência, Quaresma converteu e definiu o triunfo por 5 a 3.

O CRAQUE

Renato Sanches – Atuando como meia centralizado, o jovem de 18 anos chamou para si a responsabilidade de armar a equipe. Com personalidade, voltava para buscar a bola, caía pelos lados, tentava dribles. Foi premiado com o gol do empate português. No meio da segunda etapa, foi deslocado para o lado direito. Sumiu um pouco na proroi O goleiro Rui Patrício, o zagueiro Pepe e o atacante polonês Lewandowski também merecem menções honrosas

O PERNA DE PAU

João Mário – O camisa 10 de Portugal não fez jus ao número que carrega nas costas. Um dos responsáveis pela criação da equipe, não deu nenhuma assistência para finalização, tampouco criou oportunidades para si mesmo. Ainda passou vergonha com uma furada em chute da entrada da área. Pela esquerda, fez uma dobradinha nada memorável com o lateral Eliseu, que cansou de errar cruzamentos. O outro lateral, Cédric, também não teve boa atuação. Cristiano Ronaldo merece ser lembrado pelas furadas. E Blaszczykowski precisa ser citado por ter perdido o pênalti derradeiro.

Band