Novo concorrente do Viagra chega às farmácias da França

novo concorrente do viagraDepois dos já conhecidos medicamentos contra a disfunção erétil Viagra, Levitra e Cialis, chega as farmácias francesas na próxima semana o Spedra. Em relação ao pioneiro Viagra, o novo medicamento pode ter uma ação mais raápida.

Aprovado para a comercialização nos Estados Unidos há dois anos com o nome de Stendra, o novo remédio contra problemas de ereção chega ao mercado prometendo vantagens como ação mais rápida, menos efeitos colaterais e preços mais baixos.

O médico urologista Antoine Faix, responsável do Comitê de Andrologia e Medicina Sexual da Associação Francesa de Urologista explica que, cada paciente, tem uma sensibilidade diferente aos medicamentos. Mas destaca que, de fato, o avanafil –nome da molécula- oferece vantagens .

“A vantagem potencial desse medicamento é ter uma ação mais rápida que o Viagra. Ou seja, ele pode ser indicado para alguns pacientes que são, por assim dizer, mais apressados e que gostariam de ter um tempo mais curto entre a decisão e o ato sexual” avaliou. “A segunda vantagem potencial é que o produto pode ter efeitos colaterais menos intensos. Mas é importante ressaltar que os efeitos colaterais do Viagra não são perigosos, mas podem ser desagradáveis, como dor de cabeça, e que não são ideais na hora da relação sexual”, completou o urologista francês.

O médico Antônio de Moraes Júnior, chefe do Departamento de Andrologia da Sociedade Brasileira de Urologia, partilha a mesma opinião do seu colega francês e acrescenta: “Os efeitos colaterais são referentes ao fato de eles serem inibidores da enzima PDE 5 [que atua no processo da ereção]. Sendo assim, todo medicamento que for descoberto e que atuar inibindo essa enzima PDE 5 estará sujeito a esses efeitos colaterais e maior ou menor quantidade”.

Na França, a chegada do Spedra também é anunciada como vantajosa para o bolso. Segundo o laboratório, a pílula vai ser mais barata que os demais concorrentes e deve custar 6 euros (R$ 18) por comprimido.

Tabu

O lançamento do Viagra há 16 anos trouxe à tona a dimensão do problema de disfunção erétil. Para o urologista francês, infelizmente, o assunto ainda é tabu para muitos pacientes embora o problema atinja uma grande quantidade de homens. “Estamos falando de milhões de homens. Estudos mostram que, a partir de 40 anos, entre 10% e 20% têm problemas de ereção. Acima de 55/60 anos, cerca de 30% têm problemas. (…) São sintomas frequentes e muitas vezes subestimados”.

Esse também é o alerta do chefe do Departamento de Andrologia da Sociedade Brasileira de Urologia. Ele argumenta que, muitas vezes, os problemas de ereção podem ser sintomas outros problemas. “Está provado que a disfunção erétil é um marcador para doença coronariana. Se o paciente tem disfunção erétil, principalmente por causa vascular e de obstrução de artérias, ele tem grandes chances de ter uma obstrução na artéria do coração”, explicou Moraes jr.

Brasil

No Brasil, o medicamento só deve estar disponível para o público no ano que vem. Mas existem sites brasileiros que prometem a venda do remédio vindo do exterior sem receita médica. O urologista condena essa prática que pode trazer  “enormes riscos” para os pacientes. Ele também ressalta que, para pacientes que usem remédios que contenham nitratos e que sejam vasodilatadores, o uso do Spedra é arriscado.

RFI