Novo governo da Guiné-Bissau toma posse hoje

Novo governo da Guiné-Bissau toma posse hoje

palacio da presidencia gbO Chefe de Estado José Mário Vaz nomeou ontem o novo executivo guineense. O governo liderado por Carlos Correia é composto por 15 ministros e 14 secretários de Estado, contudo ficaram os responsáveis pelas pastas da Administração Interna e Recursos que serão assumidas interinamente pelo chefe do executivo. A tomada de posse deve ter lugar hoje.

Dois meses depois da demissão de Domingos Simões Pereira do cargo de primeiro-ministro a Guiné-Bissau acordou hoje com um novo governo. Uma nomeação que acontece após alguma resistência do presidente em aceitar as propostas do PAIGC, partido maioritário na Assembleia, para a composição do executivo e que levou à retirada de nomes como Domingos Simões Pereira e Daniel Gomes.

No decreto 12/2015 pode ler-se que compete ao presidente e ao primeiro-ministro a nomeação do executivo e que esta escolha deve reflectir uma confluência “que não possível com a maior parte dos nomes propostos”. No documento divulgado pela presidência subtende-se que persiste um descontentamento com o elenco governamental, no entanto é ressalvada “a necessidade e urgência na nomeação do novo executivo”.

O decreto presidência nomeia 15 ministros, entre as quais quatro mulheres, e 14 secretários de Estado, todavia ficar por designar os responsáveis pelas pastas da Administração Interna e Recursos que serão assumidas interinamente por Carlos Correia. A tomada de posse do executivo guineense deve acontecer esta tarde.

Composição do governo liderado por Carlos Correia

  • Malai Sane, ministro da Presidência do Conselho de Ministros e dos Assuntos Parlamentares;
  • – Adiatu Nandigna, ministra da Defesa Nacional;
  • – Valentina Mendes, ministra da Mulher, Família e Coesão Social;
  • – Artur Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, Cooperação Internacional e Comunidades;
  • – Geraldo Martins, ministro da Economia e Finanças;
  • – Vicente Fernandes, ministro do Comércio e Indústria;
  • – Agnelo Regala, ministro da Comunicação Social;
  • – Odete Semedo, ministra da Educação;
  • – João Aníbal Pereira, ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural;
  • – Cadi Seidi, ministra da Saúde Pública;
  • – José António Almeida, ministro das Obras Públicas, Construção e Urbanismo;
  • – Aida Fernandes, ministro da Justiça;
  • – Wasna Papai Danfa, ministro da Energia;
  • – Luís Vaz Fernandes, ministro da Função Pública e Trabalho;
  • Malam Jaura, ministro do Turismo e Artesanato;

Noticiário Internacional