“O momento deve ser de cautela por parte de todos os girassóis. A futrica atrapalha esse processo”, alerta Cida Ramos sobre impasse no PSB

“O momento deve ser de cautela por parte de todos os girassóis. A futrica atrapalha esse processo”, alerta Cida Ramos sobre impasse no PSB

Tida como um dos estopins na crise que assola o PSB paraibano, a deputada estadual Cida Ramos (PSB), responsável por pregar na imprensa a saída de Edvaldo Rosas do comando da legenda e a ascensão do ex-governador Ricardo Coutinho ao posto, pregou cautela no jardim girassol e menos futrica, diante da decisão para dissolução do diretório estadual da sigla.

“O momento deve ser de cautela por parte de todos os girassóis. A futrica atrapalha esse processo. Sou adepta de Gramsci [Antonio Gramsci, filósofo marxista, jornalista, crítico literário e político italiano] e acredito que temos que manter nosso foco na grande política”, disse em entrevista à Jovem Pan, nesta segunda-feira (19).

A socialista disse ainda que não acredita em uma tese de rompimento entre o governador João Azevêdo (PSB) e o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB). Para ela, os dois ainda têm muita contribuição a dar ao Estado e ao povo paraibano.

“Eu não acredito no rompimento de João. Ricardo é um político sensato e sabe que o Brasil vive um momento de retrocesso e que a Paraíba está na contramão desse panorama, numa situação mais confortável. João Azevedo, assim como Ricardo Coutinho têm muitas contribuições a dar”, declarou a parlamentar.

Cida também rebateu as declarações do presidente da Casa, Adriano Galdino (PSB), que previu um espécie de implosão do PSB.

“Não existe implosão. Essa visão seria catastrófica”, rechaçou.

Blog do Ninja