‘O que falta em Santa Rita é a volta da credibilidade da classe política’, diz candidato a prefeito

henrique-marojaO pré-candidato a prefeitura de Santa Rita pelo PTN, advogado Henrique Maroja disse durante entrevista ao Programa Rádio Verdade do Sistema Arapuan de Comunicação desta quinta-feira (12), que o que o falta no município é a volta da credibilidade da classe política.  “A Sociedade política precisa fazer as pazes com a sociedade Civil”, disse o candidato que justificou sua candidatura falando da sua carreira profissional e pública e destacando o trabalho feito pelos familiares enquanto estiveram à frente na gestão do municipal.

De acordo com o candidato, nessa eleição a sociedade tem fazer o seu papel de escolher o que é melhor para o município. “O grande fator nessa eleição é despertar no eleitor de que aquilo que a classe política fale seja verdadeiro”, destacou.

Situação de Santa Rita – Com receita mensal de cerca de 20 milhões, Henrique Maroja disse que não tem explicações para que o município esteja na situação que estar. “De seis meses a um ano deixaremos santa Rita em ordem para que o município volte a sorrir, pois Santa Rita já sofreu muito e a gente precisa mudar essa situação o mais rápido possível”, prometeu o candidato.

Saúde – Henrique Maroja garantiu que vai dar prioridade a saúde que, segundo ele, anda muito desgastada com PSF fechados e sem profissionais. Ele disse que vai lutar para reabrir o Hospital Infantil. “Vamos receber emendas e fazer convênios com todos os ministérios e reabrir todos os postos de saúde. Faremos um programa para as pessoas com dificuldades de locomoção recebam o seu remédio em casa, vamos lutar para que a maternidade Flávio Ribeiro funcione de forma plena, dentre outras ações e serviços.

Segurança- Com relação as ações de segurança, Henrique Maroja disse que pretende monitorar as todas as ruas por sistemas de câmeras para ajudar no trabalho da polícia.

Nepotismo – Mesmo sendo de uma família tradicional no município, Henrique Maroja garantiu que não haverá nepotismo na sua administração. “ Para realizarmos um bom trabalho, a gente não precisa ter a nossa família na gestão, basta apenas colocar as pessoas certas nos lugares certos e meus parentes estão muito bem na iniciativa privada, graças a Deus”, destacou.

Paulo Cosme