João Pessoa 25/04/2019

Início » Paraíba » Operadora de telefonia lidera reclamações no Procon-JP em 2018

Operadora de telefonia lidera reclamações no Procon-JP em 2018

Das 1.830 queixas registradas na soma do 'top 10', a empresa de telefonia Oi lidera o ranking com 576 reclamações

A operadora de telefonia móvel Oi, bancos e também serviços essenciais, como água e energia, lideram a lista de empresas mais reclamadas pelos consumidores no SAC da Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de João Pessoa (Procon-JP) em 2018. Das 1.830 queixas registradas na soma do ‘top 10’, a empresa de telefonia Oi lidera o ranking com 576 reclamações.

Durante o ano de 2018, até o período atual, o Procon atendeu cerca de 10.540 consumidores na capital paraibana.

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba – Cagepa teve 318 reclamações, enquanto a Energisa e o Banco do Brasil tiveram 199 e 148, respectivamente. A Caixa Econômica Federal (145), Magazine Luiza (117), Claro (105), Tim (91), Armazém Paraíba (75) e Virginia Surety Companhia de Seguros (56) completam a lista das dez empresas mais reclamadas no Procon.

Telefonia

Quando se trata de telefonia, as reclamações mais frequentes são quanto à má prestação do serviço, a cobrança indevida nas faturas, além de multas altas quando há desistência ou cancelamento do plano/linha.

Bancos

Os bancos lideram as reclamações sobre empréstimos, cartão de crédito, habitação, financiamentos, juros com parcelamento e seguros.

Punições

Ao Portal Correio, o secretário do Procon-JP, Helton René, disse que as punições variam de acordo com a infração. “Algumas infrações resultam em suspensão de atividades e as multas. Aplicamos mais as multas administrativas, que podem chegar a 30 mil reais”, explicou.

Como reclamar/denunciar

“O consumidor pode ir pessoalmente ao Procon-JP, além de telefonar para o 0800 083 2015 ou utilizar as redes sociais (@proconjp) da secretaria. Nós preservamos o anonimato, inclusive. Quem quiser fazer pessoalmente e quiser registrar a queixa, é só levar documentos pessoais, comprovante de residência e documentos que venham a vincular a relação de consumo com a empresa em questão”, finalizou Helton René.

Ações educativas em 2018

A Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor realizou 73 campanhas educativas e preventivas em 2018 através da divulgação da legislação consumerista federal, estadual e municipal. A intenção, segundo o Procon-JP, é manter o consumidor alerta para seus direitos e o fornecedor de bens e serviços atento para o cumprimento das leis.

Além da ampla informação sobre a legislação, o Procon-JP divulgou dicas e alertas para as promoções sazonais, tanto nas lojas físicas como virtuais,  a exemplo de campanhas para compra segura para o Carnaval, Dia das Mães, dos Namorados, do São João, dos Pais, das Crianças, festas de final de ano e grandes promoções, a exemplo do Black Friday.

Para o secretário Helton Renê, as campanhas educativas e preventivas são fundamentais para prevenir o problema antes que ele se instale, uma forma de solucionar as querelas entre consumidor e fornecedor, que ainda vivem uma relação bastante complicada.

“As diretrizes da política destinada à proteção e defesa do consumidor passa também pela educação, por isso, nós investimos tanto no trabalho preventivo. Além de tentar realizar da melhor forma possível a nossa assistência rotineira, que é o de acolher as reclamações dos consumidores e realizar fiscalização nos estabelecimentos comerciais, nós prezamos pela divulgação das leis, uma forma de proteger o cidadão através da informação”, disse o secretário.

Portal Correio