Paciente com caso confirmado de H1N1 morre em Campina Grande

Paciente com caso confirmado de H1N1 morre em Campina Grande

gripe h1n1Uma mulher de 25 anos morreu na tarde desta terça-feira (5), com o primeiro caso de H1N1 confirmado em Campina Grande, no Agreste paraibano. A Secretaria de Saúde do Município confirmou que esta é a primeira morte provocada pela gripe na 3ª região de saúde.

A vítima estava internada no Hospital Antônio Targino, em Campina Grande, desde o dia 7 deste mês e, apesar do tratamento, não resistiu.

A mulher morava em Campina Grande e era estudante do curso de letras da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)

Ainda segundo a 3ª região de saúde, dos 12 casos notificados na região de Campina Grande, dois foram confirmados – entre eles o da paciente que morreu nesta terça-feira – e outros 10 aguardam o resultado de exames. O G1entrou em contato com a família da vítima, mas ninguém quis comentar sobre o assunto.

Conforme a Secretaria de Estado de Saúde (SES), até a manhã desta terça-feira, haviam sido notificados oito óbitos com suspeita de H1N1 na Paraíba. Um deles já foi descartado (João Pessoa) e os demais seguiam em investigação (um em Puxinanã, outro em Campina Grande, um em Camalaú e quatro em João Pessoa) com amostras no Instituto Evandro Chagas.

Até o último dia 29, a Paraíba havia contabilizado sete casos confirmados da gripe H1N1. De acordo com a SES, a campanha de vacinação deste ano só deve começar no dia 30 deste mês.

Morte com Chikungunya
Uma idosa morreu com suspeita de chikungunya em Campina Grande, na última segunda-feira (4). Ela estava internada no Hospital Municipal Dr. Edgley com um quatro de virose que se assemelha aos sintomas dessa doença, contudo a confirmação do diagnóstico só poderá ser dada após a análise do sangue da paciente. As informações foram repassadas pela direção da unidade hospitalar e os resultados dos exames devem ficar prontos em no máximo 15 dias.

Conforme a diretora do hospital, Ilka Nunes, a idosa que faleceu com suspeita de chikungunya se chamava Luzia Leite da Silva e tinha 75 anos. Ela morava no bairro do Santo Antônio e estava internada na unidade desde o dia 28 do mês passado. O óbito foi registrado durante a madrugada da última segunda.