Panta extrapola folha de pessoal, compromete 96,4% do orçamento sem investimentos em Santa Rita, diz TCE-PB.

Com a folha de pagamento inchada e sem a capacidade de investimento na cidade de Santa Rita-PB, o prefeito tucano Emerson Panta (PSDB), e demais prefeitos foram denunciados pelo Tribunal de Contas do Estado, por desrespeitar  o limite prudencial da gestão pública que 96,40 % da arrecadação da gestão de Santa Rita, que está comprometida sua folha de pagamento de pessoal extrapolada o limite prudencial com gasto de pessoa de 60% acima do normal, cometendo crime de responsabilidade fiscal que provavelmente o TCE-PB vai recomendar a exoneração de contratados de boa parte sob pena de multa que conforme ainda nos últimos dias o prefeitura de Santa Rita foi alertada pelas cujas nomeações que não caberia em setor de trabalho por metro quadrado, que mais uma vez a gestão Panta ganha destaque na mídia paraibana pela gestão fraca que a cada dia que se passa vem se tornando ingovernável e enlameando o nome da cidade como a gestão anterior.

Conforme ainda o TCE-PB, em Santa Rita, a situação não é muito diferente, já que o comprometimento com a folha chega a 96,40% da arrecadação. Completando o ranking dos cinco municípios mais comprometidos, estão Serra Redonda (78,90%), Cajazeiras (75,22%) e Bayeux (67,43%). Com a prefeitura sem capacidade de fazer um investimento da cidade o que restou ao prefeito Panta foi perseguir servidor, retirar direitos adquiridos e que mês agosto anunciou um decreto 32 que congela toda a realização de benefício a servidor em Lei que paralisa até os PCCR’s.

O sindicato dos servidores públicos municipal de Santa Rita – SINFESA, desde que a gestão Panta assumiu a prefeitura de Santa Rita vem acompanhado os gastos que sucessivamente que estão sendo denunciado e o modelo de gestão adotado pelo gestor que desde que assumiu em primeiro de janeiro não concedeu o reajuste do mínimo do governo federal nos contracheques dos servidores da prefeitura, o terço de férias é concedido ao servidor sem o benefício, além do reajuste do magistério previsto pelo MEC que não foi negociado e nem pago pela gestão que se omite até receber o sindicato, sem contar também com o reajuste do pessoal de apoio da educação que o prefeito resiste em não pagar  que a cada dia que se passa o prefeito Panta desrespeita tudo e a todos com a matéria do TCE fala nos crimes de responsabilidade fiscal.

O que chama atenção ainda é o Instituto de Previdência do Município anunciou ao sindicato que pretende contar salário pela metade de aposentado e servidor que completa seu tempo de serviço que vai entrar para aposentadoria que adentrou no serviço público entre 1983 a 1988, que é uma gestão que se preocupa apenas em retirar benefícios de servidores sem capacidade de investimentos para a cidade e a população que agora enviou para o parlamento o código tributário para taxar desempregado e pessoas carentes do município e que insiste em contratar pessoas de João Pessoa e Campina Grande que agora o TCE-PB foi obrigado a noticiar as irregularidades que foram denunciadas pelo Jornal a Fonte e Paraíba Urgente.

Lamartine do Vale