Para líder do PSDB, decisão do TCU “confirma estelionato eleitoral"

Para líder do PSDB, decisão do TCU “confirma estelionato eleitoral”

cássio estelionato eleitoralA decisão do Tribunal de Contas da União, na noite dessa quarta-feira (7) – que rejeitou as contas do governo, referente ao exercício financeiro de 2014 – já reflete no meio político e é assunto mais tratado no Congresso Nacional. Para o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima, a recomendação do TCU “confirma o estelionato eleitoral.

Ainda segundo o senador, com a recomendação do TCU para que o Congresso rejeite as contas da presidente Dilma Rousseff (PT), caracteriza abuso de poder político e econômico, além do crime de responsabilidade da petista.

“A decisão do TCU confirma o estelionato eleitoral. É uma decisão de grande relevância. Fica caracterizado o abuso de poder político e econômico, além do crime de responsabilidade. O Congresso Nacional falará pela nação”, disse.

As análises principais do processo, para a reprovação, levaram em conta as chamadas “pedaladas fiscais”, que ficaram conhecidas pelos atrasos nos repasses da União aos bancos públicos pelo pagamento de programas do governo. O ministro paraibano Vital do Rego, também votou pela reprovação.

O governo é acusado de atrasar o repasse de recursos para benefícios sociais e subsídios pagos por meio da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil e do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) para passar a impressão de que as contas públicas estariam melhores.

Segundo relator do processo no TCU, ministro Augusto Nardes, existem 15 indícios de irregularidades nas contas do governo. Ele disse que avisou, “pessoalmente”, à presidente Dilma sobre os R$ 2 trilhões não contabilizados pelo governo. Nardes avalia que os fatos se configuram em um problema de “desgovernança fiscal”.