Paraíba registra mais de 1,1 mil assassinatos em nove meses

Paraíba registra mais de 1,1 mil assassinatos em nove meses

128 mortesA Paraíba registrou 349 vítimas de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) no terceiro trimestre de 2015. O dado é do boletim do programa Paraíba Unida Pela Paz, do Governo do Estado. Entre janeiro e setembro, o estado teve 1.105 registros desse tipo de crime, que engloba homicídios dolosos, ou seja, com a intenção de matar, e demais crimes violentos e dolosos que resultem em morte. A Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Seds) informou que 2012 teve a primeira queda no número de assassinatos em 10 anos e essa queda foi repetida até 2014.

De acordo com o boletim, em relação ao acumulado de janeiro a setembro, 2015 teve mais vítimas que 2014. Nos nove primeiros meses do ano passado, foram contabilizadas 1.057 vítimas de CVLIs, enquanto que 2015 teve 1.105.

No entanto, a Paraíba vem apresentando quedas no número de assassinatos desde o quarto trimestre de 2014, quando foram contabilizadas 456 vítimas. Os três primeiros meses 2015 tiveram a primeira queda no número, para 405. Em seguida, o segundo trimestre apresentou uma nova redução, para 351. O terceiro trimestre deste ano, por sua vez, encerrou com 349 registros.

A cidade que mais teve CVLIs no terceiro trimestre de 2015 (de jullho a setembro) foi João Pessoa, com 120 vítimas. Em seguida, aparecem Campina Grande, com 42, Santa Rita, com 22, e Bayeuxe Patos empatados com 14.

A Secretaria da Segurança e da Defesa Social informou que os órgãos operativos da pasta – as polícias Militar e Civil – têm como uma das principais metas a redução de CVLIs. Assim, de acordo com as diretrizes do programa Paraíba Unida pela Paz, as instituições têm agido por meio da prevenção e repressão qualificada à violência, Inteligência Policial e responsabilidade territorial dos gestores das instituições no sentido de diminuir esse tipo de ocorrência nos últimos quatro anos.

Ainda de acordo com Seds, em 2012 houve a primeira redução de CVLI em 10 anos, o que continuou acontecendo até o fim de 2014. O enfrentamento a esse tipo de crime está sendo intensificado, com base em números do Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Seds, de forma a saturar as áreas com o maior número de ocorrências. Outras ações ligadas à redução de CVLI também têm sido realizadas como a apreensão de armas e drogas, sendo 2.881 armas de fogo de janeiro a setembro, e mais de 1,5 tonelada de entorpecentes, respectivamente, de janeiro a setembro.

G1-PB