João Pessoa 23/05/2019

Início » Política » PB está fora: conheça os vinte parlamentares mais ricos do Brasil

PB está fora: conheça os vinte parlamentares mais ricos do Brasil

A concentração de riquezas, que faz do Brasil um dos países mais desiguais do mundo, também chegou ao Congresso Nacional. Levantamento do Congresso em Foco com base na declaração patrimonial dos 513 deputados e 81 senadores no exercício do mandato mostra que os 20 mais ricos (veja a lista mais abaixo) acumulam mais da metade de todos os bens informados à Justiça eleitoral por todos os parlamentares. Juntos, os nove senadores e 11 deputados mais ricos somam mais de R$ 1,18 bilhão, o equivalente a 56% dos R$ 2,09 bilhões acumulados pelos 594 congressistas.

 

As informações fazem parte da base de dados lançada pelo Congresso em Foco com a intenção de mostrar quem é quem no novo Parlamento. As informações reunidas incluem, além do patrimônio informado à Justiça eleitoral, a votação obtida por cada congressista, o grau de escolaridade, a cor autodeclarada, o endereço do gabinete, uma curta biografia e links para matérias deste site em que ele ou ela recebeu alguma menção.

 

Esse novo serviço é lançado no mesmo mês em que o Congresso em Foco – no ar desde 12 de fevereiro de 2004 – completa 15 anos de existência. O seu objetivo é, como tudo o mais que fizemos desde então, ampliar o conhecimento dos cidadãos sobre os representantes eleitos e estimulá-los a acompanhar e fiscalizar o trabalho parlamentar.

 

Entre os 20 congressistas mais ricos, há apenas uma mulher – a deputada Magda Mofatto (PR-GO) – e representantes de 13 partidos e 13 estados. Há quatro parlamentares de Minas Gerais, três do Ceará, dois de São Paulo e Goiás. Paraná, Mato Grosso, Amazonas, Piauí, Rio Grande do Sul, Alagoas, Pernambuco, Roraima e Maranhão têm um nome cada. Ao todo, sete partidos têm dois nomes entre os mais endinheirados (Podemos, MDB, DEM, Novo, PR, PP e PSD) e outros seis, um (PSDB, PDT, PDT, Pros, SD e PSL) cada.

 

Campeões em dinheiro

 

Com mais de R$ 389 milhões em bens e patrimônio declarados, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) é dono da maior fortuna informada à Justiça eleitoral. Eleito em 2014, Tasso tem mandato até 31 de janeiro de 2023. Empresário e administrador de empresas, foi um dos fundadores do Grupo Jereissati, responsável por uma das maiores redes de shopping centers do país, o Iguatemi.

 

Entre os escolhidos em outubro, o mais rico é o senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), que informou possuir mais de R$ 239 milhões. Calouro na política, o empresário e professor é fundador do grupo Positivo, um dos maiores do ramo da educação no Paraná.

 

O terceiro maior montante declarado em todo o Congresso é o de outro estreante na política, o deputado Luiz Flávio Gomes (PSB-SP), que também vem da área de educação. Ex-promotor de Justiça e ex-juiz, Luiz Flávio Gomes fundou em 2003 o grupo LFG, a primeira rede de ensino telepresencial da América Latina, vendido por ele em 2008. Luiz Flávio informou à Justiça eleitoral que possui R$ 120 milhões em bens.

 

Valor subestimado

 

A presença de multimilionários entre deputados e senadores não significa que os parlamentares do novo Congresso tenham patrimônio declarado baixo, na comparação com a média dos brasileiros. Dos 513 deputados, 240 (47%) informaram possuir mais de R$ 1 milhão em bens. Entre os 81 senadores – eleitos, reeleitos ou em meio de mandato –, 56 (69%) declararam patrimônio acima dessa cifra.

 

O montante admitido pelos parlamentares costuma ser subestimado. A legislação eleitoral permite que os candidatos informem o valor de compra por imóveis, por exemplo. Também não há fiscalização nem punição para aqueles que, por ventura, não declararam o que, de fato, possuem. Na Câmara, 23 deputados afirmaram não possuir qualquer bem. Entre eles, alguns que se declaram empresários, como Alexandre Frota (PSL-SP), que fez carreira como ator.

 

Veja quais são os 20 parlamentares mais ricos, conforme declaração à Justiça eleitoral, do atual Congresso:

 

1º – Tasso Jereissati (PSDB-CE) – R$ 389.019.698,60

Senador eleito em 2014 para o seu segundo mandato, é empresário e foi governador do Ceará.

 

2º – Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), senador – R$ 239.709.825,12

Economista e empresário do ramo da educação, exerce seu primeiro mandato político.

 

3º – Luiz Flávio Gomes (PSB-SP), deputado – R$ 119.810.503,06

Fundador da rede de ensino telepresencial LFG, Luiz Flávio Gomes foi promotor de justiça e juiz de direito, tendo atuado também como advogado. Estreia na política.

 

4º – Hercílio Araújo Diniz Filho (MDB-MG), deputado – R$ 38.844.003,09

Estreante na política, é empresário no ramo varejista supermercadista.

 

5º – Eduardo Girão (Podemos-CE), senador – R$ 36.397.417,26

Estreante na política, é empresário no ramo de hotelaria, transporte de valores e segurança privada. Fundou entidade sem fins lucrativos de atuação na área social.

 

6º – Jayme Campos (DEM-MT), senador – R$ 35.284.444,05

Pecuarista e ex-prefeito de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, foi senador entre 2007 e 2015.

 

7º – Eduardo Braga (MDB-AM), senador – R$ 31.624.764,31

Engenheiro eletricista, é empresário no ramo automobilístico. Ex-governador do Amazonas, foi reeleito em outubro.

 

8º – Alexis (Novo-SP), deputado – R$ 28.802.788,01

Calouro na política, é engenheiro mecânico e empresário no ramo de pisos e revestimentos industriais.

 

9º – Magda Mofatto (PR-GO), deputada – R$ 28.192.320,76

Deputada reeleita, é a única mulher entre os mais ricos do Congresso. É dona de hotéis e de clubes em Caldas Novas, cidade conhecida pelas águas termais.

 

10º – Vanderlan Cardoso (PP-GO), senador – R$ 26.664.659,57

Empresário dos ramos alimentício e de higiene, foi prefeito de Senador Canedo, município da região metropolitana de Goiânia.

 

11º – Ciro Nogueira (PP-PI), senador – R$ 23.314.081,45

Empresário e advogado, foi reeleito senador em outubro de 2018.

 

12º – Rodrigo Pacheco (DEM-MG), senador – R$ 22.834.764,00

Advogado, era deputado federal na legislatura passada.

 

13º – Afonso Motta (PDT-RS), deputado – R$ 21.345.369,25

Deputado reeleito, é advogado.

 

14º – Lucas Gonzalez (Novo-MG), deputado – R$ 21.140.240,06

Graduado em direito, é empresário no setor de logística. É estreante na política.

 

15º – Fernando Collor (Pros-AL), senador – R$ 20.308.318,48

Empresário do ramo da comunicação, foi governador e presidente da República, afastado do cargo em processo de impeachment, em 1992.

 

16º – Misael Varella (PSD-MG), deputado – R$ 20.075.223,44

Bacharel em administração, é pós-graduado em economia.

 

17º – Genecias Noronha (SD-CE), deputado – R$ 19.044.315,00

Deputado reeleito, é empresário do ramo de motos.

 

18º – Luciano Bivar (PSL-PE), deputado – R$ 17.980.493,66

Presidente do PSL, é empresário. Bacharel em direito, é pós-graduado em educação financeira.

 

19º – Haroldo Alves Campos (PSD-RR), deputado – R$ 14.822.011,10

Estreante na política, é empresário do ramo da educação, professor e doutor em Ciências Sociais.

 

20º – Josimar Maranhãozinho (PR-MA) – R$ 14.591.074,31

Empresário, foi prefeito de Maranhãozinho

PB Agora