Pesquisadores italianos produzem bafômetro mais eficiente e barato - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Pesquisadores italianos produzem bafômetro mais eficiente e barato

Bafometro

Blitz em Brasília: no país, utilizam-se os modelos portáteis mais precisos que existem no mercado

A cena é conhecida e cada vez mais comum em tempos de fiscalização acirrada: parado por um policial, o motorista apresenta sinais de desequilíbrio, olhos mareados e hálito forte. Os sintomas são claros, e (talvez com um pouco de resistência) o cidadão embriagado é retirado do volante e autuado pelo crime.

Em outras situações, no entanto, os culpados nem sempre transparecem o comportamento esperado de quem consumiu bebida alcoólica antes de assumir o posto de condutor. Nesses casos, somente a tecnologia pode contestar a velha história de que uma só taça de vinho foi consumida muitas horas antes e encontrar a concentração de álcool que muitas vezes é o estopim de um acidente fatal.

É aí que entra em ação o etilômetro, ou bafômetro, como é conhecido o aparelho que mede a quantidade de álcool presente nos pulmões e no sangue de uma pessoa. O instrumento passou por muitas adaptações desde que foi inventado na década de 1960 (veja Para saber mais) e continua ganhando novas versões.

Pesquisadores italianos acabam de divulgar o ambicioso projeto de desenvolver um dispositivo de baixo custo que acuse a existência de álcool no hálito de uma pessoa sem depender de reagentes ou cargas elétricas. Em vez de luzes ou mostradores, o protótipo conta com uma pedra artificial que muda de cor na presença do gás de etanol.

CB