PM pede para estuprar filhas de 4 e 14 anos de ‘amante’ como ‘prova de amor’

policial militarUma adolescente de 14 anos divulgou através do whatsapp uma conversa entre sua mãe e um policial militar, onde o homem pedia para manter relações sexuais com a jovem e sua irmã, uma criança de quatro anos de idade, como ‘prova de amor’.

O policial militar é lotado no 14° Batalhão de Polícia Militar com sede em Sousa e reside no estado do Ceará.

No diálogo que aconteceu no facebook, o policial pede para uma mulher que dope suas filhas, a adolescente de 14 anos e uma criança de quatro anos de idade, para que ele mantenha relações sexuais com as três (a mãe e as duas filhas), a fim de satisfazer sua ‘obsessão’, onde a mulher parece rejeitar o pedido do militar.

A jovem ao flagrar a conversa encaminhou para uma terceira pessoa e o caso se espalhou rapidamente causando a indignação da sociedade que trataram o comportamento de ambos como cruel, repugnante e monstruoso.
De acordo com informações, o Comando do 14º Batalhão de Polícia Militar teve conhecimento do fato e já comunicou ao Comando Geral da Polícia Militar, garantindo que vai apurar com rigor o possível desvio de conduta do militar estadual, o qual inclusive pode ser excluído da corporação, caso seja comprovada a participação do policial militar.

A Polícia Civil também foi informada do ocorrido e deverá instaurar inquérito policial para investigar a conduta da mãe e do policial militar, dependendo do andamento das investigações, ambos podem ser indiciados por favorecimento da prostituição e ou estupro de vulnerável.

Uma adolescente de 14 anos divulgou através do whatsapp uma conversa entre sua mãe e um policial militar, onde o homem pedia para manter relações sexuais com a jovem e sua irmã, uma criança de quatro anos de idade, como ‘prova de amor’.


O policial militar é lotado no 14° Batalhão de Polícia Militar com sede em Sousa e reside no estado do Ceará.

No diálogo que aconteceu no facebook, o policial pede para uma mulher que dope suas filhas, a adolescente de 14 anos e uma criança de quatro anos de idade, para que ele mantenha relações sexuais com as três (a mãe e as duas filhas), a fim de satisfazer sua ‘obsessão’, onde a mulher parece rejeitar o pedido do militar.

A jovem ao flagrar a conversa encaminhou para uma terceira pessoa e o caso se espalhou rapidamente causando a indignação da sociedade que trataram o comportamento de ambos como cruel, repugnante e monstruoso.
De acordo com informações, o Comando do 14º Batalhão de Polícia Militar teve conhecimento do fato e já comunicou ao Comando Geral da Polícia Militar, garantindo que vai apurar com rigor o possível desvio de conduta do militar estadual, o qual inclusive pode ser excluído da corporação, caso seja comprovada a participação do policial militar.

A Polícia Civil também foi informada do ocorrido e deverá instaurar inquérito policial para investigar a conduta da mãe e do policial militar, dependendo do andamento das investigações, ambos podem ser indiciados por favorecimento da prostituição e ou estupro de vulnerável.dialogo

Paraíba .com