‘PMJP admitiu que não desviou R$ 10 milhões, mas R$ 6,4, isso é uma lambança’, declara vereador

O líder da oposição na Câmara Municipal de João Pessoa, Bruno Farias (PPS), deu a sua versão do que teria acontecido em relação à denúncia de desvio de R$ 10 milhões na obra de reforma da Lagoa, no Parque Solon de Lucena.

“Entre tantas notas, a gente nota que a reforma da Lagoa custou uma nota, aquilo é um nó, uma grande lambança. Primeiro, a PMJP apresentou aquele relatório técnico da Caixa e se agarrou nele por muito tempo como um escudo”, disse

Em entrevista ao programa Rádio Verdade, da Arapuan FM, Bruno contou que a Controladoria-Geral da União (CGU) emitiu uma nova nota técnica rebatendo os pontos que amparavam a administração municipal pessoense.

“Com isso, a CGU concluiu, peremptoriamente, que a Caixa beneficiou irregularmente a prefeitura e a Compec na obra da lagoa e enviou essa nota técnica ao Ministério das Cidades e disse que havia uma divergência entre os valores que deveria ser devolvido, se dez ou 6,4 milhões de reais”, contou.

De acordo com o parlamentar, a gestão cartaxista está admitindo que não desviou os R$ 10 milhões, mas apenas R$ 6,4: “estão alegando que o prejuízo foi esse, isso é uma brincadeira com a sociedade, com o pessoense. O povo de João Pessoa quer é saber onde foi parar essa nota”.

Yves Feitosa