faccões

Polícia confirma que disputa de facções por tráfico motivou mortes em presídio na Paraíba

presidio_de_patosO delegado seccional da Polícia Civil patoense, Sylvio Rabelo, informou nesta tarde de quarta-feira (4) que a rebelião que terminou com dois presos mortos e outros dois feridos no presídio Romero Nóbrega, em Patos, no Sertão, foi motivada pela disputa entre duas facções criminosas sobre o comando do tráfico de drogas e de territórios.

Em entrevista à Rádio Espinharas de Patos,  nesta tarde, o delegado Sylvio Rabelo confirmou que os dois detentos mortos (Maelson e Darlan), foram alvejados por disparos de arma de fogo.

Segundo o delegado, não só as vítimas que morreram, mas também outros presos foram feridos por disparos dessa arma. A suspeita é de que pelo menos uma arma de fogo estava em poder dos apenados do Presídio Romero, em Patos.

O delegado disse que há alguns meses os envolvidos no confronto faziam parte de uma mesma facção criminosa, mas se dividiram e, nesses casos, a facção dissidente quer matar os integrantes da facção original para tomar o comando do tráfico de drogas nos bairros da cidade.

Com as investigações e análise das imagens registradas pelas câmeras de segurança do presídio, a Polícia Civil deve indiciar pelo menos cinco presos que já foram identificados.

De acordo com o delegado Sylvio Rabelo, a ação foi orquestrada. “Vamos investigar para identificar todos os envolvidos”, disse Rabelo.

Durante a rebelião dois presos de 25 e 27 anos foram feridos a tiros e morreram enquanto estavam sendo socorridos. Outros dois presidiários também ficaram feridos, mas estão internados no Hospital Regional de Patos e não correm risco de morte.

Após a rebelião ser controlada, no início desta tarde, as polícias Civil e Militar deram início a uma varredura na unidade prisional, em busca de armas.

ClickPB