João Pessoa 25/03/2019

Início » Notícias » Polícia Federal faz busca em endereços de Ciro Nogueira

Polícia Federal faz busca em endereços de Ciro Nogueira

Operação foi autorizada pelo STF Buscas são feitas em 3 cidades

Senador Ciro Nogueira foi alvo de mandado de busca e apreensãoMoreira Mariz/Agência Senado

A Polícia Federal (PF) iniciou buscas em endereços do senador Ciro Nogueira (PP-PI) na manhã desta 6ª feira (22.fev.2019) para investigar suspeitos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Sob autorização da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, imóveis do senador estão sendo supervisionados em Brasília, Teresina (PI) e São Paulo, como parte da operação Compensação, 1 desdobramento do Inquérito 4736/STF.

De acordo com a PF, a suspeita é que Ciro Nogueira tenha intermediado pagamentos ao Partido Progressista em troca de apoio político do partido durante as eleições presidenciais de 2014. Naquele ano, a sigla apoiou a então candidata Dilma Rousseff.

Segundo nota oficial da PF, a investigação teve origem por colaboradores. A versão alegada é de 1 repasse de cerca de R$ 43 milhões em espécie e doações oficiais, por intermédio de Ciro Nogueira.

Como apresentado no inquérito, os colaboradores citados seriam do grupo J&F, dono da JBS.

Para a operação, 30 policiais federais cumprem os mandatos de busca e apreensão, e entregam intimações para que envolvidos prestem depoimento.

NOTA DA DEFESA

Em resposta, a defesa do senador argumenta que os bens apreendidos foram recolhidos em outra operação, que não resultou em ação penal. Eis a íntegra da nota.

A Defesa do Senador Ciro Nogueira vem denunciar, mais uma vez, o direito penal do espetáculo. O que está sendo apreendido nesta busca e apreensão é o que foi recentemente restituído pelo Supremo Tribunal em virtude de outra operação que não resultou em Ação Penal, o Supremo rejeitou a Denúncia, pois baseada tão somente na palavra de outro delator. Tal constrangimento poderia ser evitado com a simples intimação do Senador para prestar esclarecimento pois, é evidente, este sempre se colocou à disposição do Poder Judiciário

Poder360