Polícia identifica suspeito de matar cabeleireiro em Mangabeira; acusado é menor de idade

jair figueiredo doisApós investigações, a Polícia Civil descobriu a identidade do suspeito de matar o professor e cabeleireiro Jair Gomes Figueiredo Júnior, 38 anos, nessa terça-feira (17), no bairro Mangabeira 8, em João Pessoa.

O delegado de Homicídios, Bruno Victor Germano, informou que o suspeito teria 16 anos e já cumprido medida socioeducativa por roubo no Centro Educacional do Adolescente (CEA). O local do crime estava revirado e com manchas de sangue em vários cômodos.

Bruno contou que a linha de investigação é de que houve um desentendimento entre a vítima e o suspeito dentro da casa após a saída de amigos.

“Estava ocorrendo uma festinha privada na casa do professor, entre conhecidos e sem nenhuma alteração. Tinham cinco pessoas, entre eles, três homossexuais. O suspeito foi levado para o evento por um amigo da vítima. Eles passaram a noite bebendo e ao amanhecer, apenas o professor e o suposto autor do crime ficaram na casa. No imóvel encontramos, cerca de três caixas de cervejas vazias”, disse.

De acordo com o delegado, foi descartada a possibilidade de que o crime tenha motivação homofóbica e latrocínio (roubo seguido de morte).

“Nada foi subtraído da casa do professor, sendo assim, o latrocínio foi descarto de imediato. A homofobia foi descartada depois dos depoimentos das testemunhas que estavam no evento. Vamos trabalhar para prender o suspeito, que fugiu após o assassinato”, falou.

Segundo Germano, diligências foram feitas na casa do suspeito. “Encontramos dentro da casa roupas e toalhas sujas de sangue. Ele e a namorada não estavam mais no local”, comentou. Dentro da casa da vítima, os policiais encontraram cinco facas quebradas perto do corpo.

O velório do professor acontece na sede do Sindicato dos Professores de Santa Rita, na Grande João Pessoa. O enterro está marcado para a tarde desta quarta (18), no cemitério da cidade.

Quem tiver informações que possam ajudar a localizar o suspeito, deve ligar para o 197, Disque Denúncia da Polícia Civil. O sigilo é garantido.

Redação