João Pessoa 19/09/2018 09:50Hs

Início » Política » “Se tiver uma brecha legal eu vou tentar proibir”, diz novato sobre antecipação da eleição da ALPB

“Se tiver uma brecha legal eu vou tentar proibir”, diz novato sobre antecipação da eleição da ALPB

Gadelha eleito deputadoO deputado estadual diplomado, Renato Gadelha, do PSC, se colocou contra a articulação para antecipar a eleição para o 2º biênio da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa da Paraíba e anunciou que irá buscar os meios legais para tentar impedir o que classificou de manobra. Segundo o novo parlamentar, a antecipação de um pleito na Casa só vai beneficiar alguns interessados e não a democracia.

“Sou contra radicalmente a essa história de uma eleição no mesmo dia para os dois biênios, eu acho um desrespeito, principalmente com relação ao jovem parlamentar que já vai chegar com a Mesa constituída para todo o seu mandato. É logico que quem chega agora não quer participar da composição da Mesa porque não tem ainda experiência, mas depois de dois anos alguém pode assumir posições muito boas, pode vir a ser um candidato a presidente ou compor a Mesa como secretário, mas isso já está sendo tirado dos jovens parlamentares, é um absurdo, não vou aceitar isso de maneira nenhuma e se tiver uma brecha legal eu vou tentar proibir essa manobra”, disparou Renato.

Renato Gadelha lembra que alguns dos deputados que vão compor a Mesa no segundo biênio podem disputar as eleições de 2016 e serem eleitos e os que ficarem na Casa não poderão concorrer em nenhum espaço, porque a eleição já vai ter sido realizada.

“É uma coisa esdruxula nessa política, não aceito isso, nós temos que fazer a eleição nos moldes do Congresso Nacional, a cada dois anos eleição e aí quem tiver melhor que vença, antecipar o pleito é a contramão da democracia”, detonou.

O deputado novato diz ainda que a antecipação do pleito só benéfica a um grupo de deputados que serão prestigiados com os cargos na Mesa Diretora. “Essa antecipação só beneficia aos que estão participando, com os cargos já garantidos na Mesa, porque se não tivesse isso, jamais se teria um consenso nessa chapa de oposição a Ricardo Marcelo, isso só interessa a eles, a democracia não”, falou.

Sobre seu voto, se apoiará Galdino ou o grupo de Ricardo Marcel, Renato Gadelha fez mistério: “O que eu quero daquela casa é a independência, nós temos três poderes, legislativo, executivo e judiciário que podem trabalhar harmonicamente, mas de forma independente, então, aquele que se mostrar o candidato mais interessado em ter uma independência na Casa, nós estaremos mais propensos”, falou, se referindo a ele e ao grupo de deputados novato que iniciam o mandato na próxima legislatura.

PB Agora