Poluição do ar em Santiago fecha escolas e pode prejudicar Copa América

santiago poluidaA capital chilena, Santiago, enfrentou na segunda-feira (22) sua primeira “emergência ambiental” em 16 anos, devido aos altos índices de poluição. A emergência ambiental é a medida máxima de alerta que a legislação chilena contempla contra altos níveis de poluição atmosférica. Nesta quarta-feira, a capital recebe a partida Uruguai x Chile pela Copa América.

No domingo, com índices de contaminação ambiental críticos, a seleção brasileira enfrentou a Venezuela. Não há jogos previstos para segunda e terça-feira, mas a maioria das seleções que participam do torneio está concentrada em Santiago. A Confederação Sul-americana de Futebol (Conmebol) garante que nenhum jogo do torneio poderá ser suspenso por causa da poluição.

O decreto de emergência ambiental, o primeiro desde 1999, paralisou 924 fábricas e outras fontes fixas de poluição da capital chilena, que tem 6,7 milhões de habitantes. Houve recomendação para a suspensão das aulas de educação física em todos os colégios de Santiago e as autoridades decretaram vias exclusivas de transporte público, entre outras medidas.

Escolas fechadas

Várias escolas particulares de Santiago não abriram as portas diante da crise, que deve persistir pelos próximos três dias devido à falta de ventos e chuva. Com a chegada da noite, as autoridades decidiram reduzir o nível de alerta para “pré-emergência ambiental”, o que implica na paralisação de 20% dos veículos em circulação e de cerca de 700 fontes.

Espremida entre várias montanhas, a capital chilena tem uma localização geográfica que atenta contra seus níveis de ventilação, ao que se soma, nos últimos dias, a pouca chuva e temperaturas elevadas para a época. Os altos níveis de poluição coincidem com o período da Copa América, que tem a capital como uma de suas principais sedes.

Noticiário Internacional