Pratto vê Atlético-MG mais forte em decisões e confia em reviravolta no domingo

prattoO argentino está confiante para reverter a vantagem do América-MG

Precisando de uma vitória simples sobre o América-MG, no próximo domingo, no Mineirão, para conquistar o bicampeonato estadual, o Atlético-MG terá que contrariar o retrospecto deste ano diante do Coelho. Na atual temporada, os rivais mineiros se enfrentaram três vezes e, até momento, o Galo ainda não soube experimentar o gostinho do triunfo sobre a equipe comandada pelo técnico Givanildo Oliveira.

Os números podem jogar contra, mas é exatamente este o cenário que o Atlético-MG se sente mais à vontade. Pelo menos é assim que pensa o atacante Lucas Pratto. Para o argentino, a equipe atleticana cresce em situações desfavoráveis, especialmente em decisões, o que se torna um bom motivo para a torcida acreditar numa reviravolta na final Estadual, tendo em vista que, no jogo de ida, o Galo jogou mal e perdeu por 2 a 1 para o América-MG.

“Em geral, o jogo de ida não foi bom. Depois do 2 a 0, a gente conseguiu pressionar o América em seu campo e criamos muitas situações de gols. Mas, em geral, o jogo não foi bom, porque entramos no jogo para ganhar. Então, quando você perde jogando mais ou menos, não é bom. Mas sabemos que o Atlético sai mais forte e com um espírito combativo quando tem que decidir, quando tem que virar o jogo. Então, no domingo precisamos de vencer por um gol para sairmos campeões”, colocou o camisa 9.

Grande nome da vitória atleticana sobre o Racing-ARG, por 2 a 1, na última quarta-feira, que colocou o clube mineiro nas quartas de final da Libertadores, Lucas Pratto entende que o Atlético-MG precisa repetir a disposição emocional e física do jogo contra os argentinos diante do América-MG para que o Galo alcance o placar necessário no Mineirão.

“(Precisamos repetir) O caráter, a predisposição, a solidariedade que teve o time. No primeiro tempo, o Racing cortou nosso circuito de jogo, mas a gente em nenhum momento se desesperou e conseguiu equiparar o jogo com caráter, com jogo físico. Eles estavam tentando jogar pela segunda bola, mas depois começamos a ganhar todas as divididas. Acho que o caráter, o jogo físico que fizemos tem que se repetir no domingo”, avaliou.

“Acho que o América fez três jogos interessantes contra a gente, mas acho que este último jogo tem um contexto todo diferente, já que decide tudo. Então, vamos pressionar desde o primeiro minuto, jogar no campo deles. Eu vou tentar fazer pressão lá para ver se eles vão manter o nível agora. Acho que a gente, em relação aos três jogos que fizemos contra eles, temos que melhorar muito. Então se melhorarmos nosso jogo, juntando o caráter e o jogo físico que tivemos ontem (quarta-feira), acho que vamos ganhar”, acrescentou.

Uol