Pré-candidatura de Maranhão ao governo abre possibilidade de divisão de aliança das oposições em 2018

Em entrevista na CBN João Pessoa-PB, o pré-candidato ao governo do estado da Paraíba, o senador José Maranhão confirmou sua pré-candidatura pelo MDB e, afirmou que não aceita imposição de Luciano Cartaxo (PSD) e cobrou reciprocidade pelo apoio da eleição 2016 que agora estamos em 2018 a eleição é outra “o casamento acabou agora é divórcio”. O senador garantiu ainda seu nome ao partido e que 60 anos de vida pública não tem costume de recuar  de candidatura, disse.

“A eleição de 2016 foi para reeleger Luciano Cartaxo prefeito de João Pessoa e não governador, não existe nenhuma aliança para 2018, mas pode apoiar o que não aceito a cobrança. O senador Maranhão perguntou na entrevista também por que ele, Cartaxo não pode apoiar a pré-candidatura e votar no MDB que recebeu o seu vice-prefeito e o apoio ?”frisou o senador Maranhão.

Na entrevista na CBN dia anterior terça (2) o senador peemedebista Raimundo Lira elogiou o governador Ricardo Coutinho mas admitiu que se o companheiro se mantiver sua pré-candidatura seguirá seu partido e o senador Maranhão que sem sombra de dúvidas Maranhão confirmou sua pré-candidatura e evitou anunciar os apoios políticos que tem recebidos nos últimos dias, e se revelassem agora iriam estragar alianças futura e, ainda em relação aos apoios políticos o senador minimizou quando foi perguntado sobre o apoio do futuro prefeito de João Pessoa Manoel Júnior se Cartaxo mantiver também sua postulação. declarou.

Por fim, na entrevista o senador Maranhão descartou a venda da CAGEPA e, se eleito governador convocaria uma reunião com todos os governadores para tratar da violência não só em nível Nacional mas principalmente do estado da Paraíba que não avançou e a bandidagem se aprimorou que é visível e crescente a violência em todo o estado.

Lamartine do Vale