Prefeito de Bayeux depõe: “Não cometi nenhum crime apenas defendi o patrimônio e o povo”, afirma Luis Antonio

O prefeito de Bayeux Luis Antonio (PSDB), foi ouvido nesta manhã de segunda-feira (15) pela comissão processante que investiga um suposto vídeo que o incrimina na comissão processante que pede sua cassação sobre uma suposta reunião administrativa da prefeitura que naquela oportunidade pedia para ‘meter o pau’ no deputado Federal por emitir críticas a sua gestão municipal e seu genitor ameaçar de fechar um anexo de saúde da cidade que segundo ele estaria irregular.

Na audiência pública o prefeito Luis Antonio afirmou que a reunião foi de cunha administrativo e que teve uma duração de duas (2) horas e que nesse período surgiu essa informação que o pai do deputado teria se ofendido pela demissão de um servidor concursado que estava ocupando  cargo de confiança e que foi demitido, daí então, sua gestão passou a ser criticada pelo deputado federal e seu pai que surgiu a informação  que ambos prometiam fechar o anexo de saúde e foi quando me reuni com os secretários para traçar metas e socorrer o anexo para evitar o fechamento e corrigir o que estava irregular segundo o pai do deputado, foi ai então na reunião que veio a ideia meter o pau (críticas) que não chegou acontecer que apenas defendi o patrimônio do povo e as ações administrativas que são positivas na cidade, foi nesse momento que alguém gravou o áudio e me ameaçou e queria me extorquir e não aceitei esse tipo de comportamento e fui denunciado e hoje estou aqui esclarecendo a verdade com todo o respeito a comissão processante e aos vereadores desta augusta casa parlamentar que me defendo como inocente e por pura perseguição política de aliados do ex-prefeito afastado que nunca me furtei de vir à Câmara para prestar qualquer tipo de esclarecimento, declarou Luis Antonio.

“Fechar a sala de ortopedia que foi um requerimento da vereadora de Luciene de Fofinho, foi uma luta juntamento o outro lado do anexo comisso, na reunião veio o sentimento de raiva quando veio a criticar o pai de deputado e que não chegou não chegou acontecer, defendi o patrimônio, que são pessoas não gratas que querem o mal das pessoas de nossa cidade, não os ameacei e nem agredi, tudo foi em defesa do povo, na sequência da audiência pública o prefeito disse que o suposto áudio é falso e que foi auditado e que a comissão processante  mensagens ) negou a realização de uma perícia, e na mesma audiência provou que foi ameaçado e extorquido via whatzapp com as conversas gravadas que pediu para juntar e fazer parte do processo que no final de seu depoimento pediu a sensibilidade da comissão processante pelo seu arquivamento e que a cidade precisar crescer e desenvolver como vem fazendo em seis meses à frente da gestão pública, adiantou o prefeito de Bayeux.

Por fim, Luis Antonio afirmou que que o áudio que sustenta a denúncia que foi formulada na comissão processante é ilícita e que lamentavelmente foi negado pela maioria dos vereadores que traria a verdade por meio de uma perícia pela polícia Federal, que dele o áudio foi tirada algo para incriminar o atual prefeito e fomentar o negativo político da cidade aproveitando-se do momento de crise que vive a cidade para me incriminar, ameaçar e extorquir e se não atendesse a necessidade do extorquidor como não dei crédito por isso, que fui denunciado e autorizei diante dos fatos pelo nosso patrimônio do povo meter o pau que não aconteceu e pela falta de veracidade das provas peço-lhes a comissão processante mais uma vez pelo seu arquivamento, frisou o prefeito de Bayeux.

Lamartine do Vale