Prefeito é excluído de ordem de serviço para Hospital em Santa Rita - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Prefeito é excluído de ordem de serviço para Hospital em Santa Rita

REGINALDOO governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), assina às 18 horas de amanhã a ordem de serviço para o início das obras do Hospital Metropolitano de Santa Rita. Seria usual que o prefeito do município, Reginaldo Pereira (PRP) comparecesse à solenidade, mas tudo indica que o gestor não estará entre as autoridades presentes à solenidade.
Uma fonte ligada ao Governo confidenciou ao Parlamentopb que Reginaldo sequer teria sido convidado. O motivo da exclusão: recaiu sobre o prefeito a culpa por uma vaia orquestrada contra o governador no fim de setembro passado durante uma outra solenidade referente ao Hospital Metropolitano. O socialista autorizara naquela data a abertura de licitação para contratar a empresa responsável pela construção do equipamento.
Na Assembleia Legislativa, o líder do governo, Hervázio Bezerra, detalhou o mal estar dizendo que ” Reginaldo Pereira montou uma claque para vaiar o governador Ricardo Coutinho. Quando lhe perguntaram, ele disse que não tinha nada a ver com aquilo, mas era visível que pararam de vaiar depois que ele subiu no palanque. Que milagre foi esse? Pararam por que Reginaldo está bem na fita com a população? Obviamente não. Quem diz isso são os moradores e conterrâneos de Santa Rita. Pior foi a cara de pau do prefeito. Além de subir no palanque, ainda queria falar! Pisou na bola. O governador foi levar um hospital reivindicado há anos pelo povo e muito prometido pelos políticos. As vaias foram descabidas. Quem quer fazer oposição, faça, mas use de inteligência e prudência!”.
Negativa – O secretário executivo de Comunicação Institucional do Estado, Célio Alves, negou que Reginaldo Pereira tenha sido deixado de fora dos convites para a solenidade:
“Convidado ele foi, mas não sei se irá. O Governo quer construir moradias populares em Santa Rita e ele não dá a autorização que é necessária para a obra. Todo prefeito quer levar melhorias para seu município, mas ele e o prefeito de João Pessoa não querem que o Governo construa casas para os cidadãos mais pobres. Então, por isso, acredito que ele também não esteja a favor da construção do hospital”, comentou.
O Hospital Metropolitano de Santa Rita terá 209 leitos, sendo 30 de UTI. Quando estiver em funcionamento, deverá empregar cerca de 1.700 profissionais de saúde e atender moradores de 12 cidades próximas.
ParlamentoPB