Presidente da FAMUP toma posse defendendo novo Pacto Federativo e plano para Previdência

Presidente da FAMUP toma posse defendendo novo Pacto Federativo e plano para Previdência

O presidente eleito da FAMUP – Federação dos Municípios da Paraiba- George , prefeito da cidade de Sobrado, toma posse no cargo nesta segunda-feira, às 17 horas, na ASPLAN, defendendo novo Pacto Federativo e encontro de contas entre União e Municípios para resolver a Previdência.

Em entrevista EXCLUSIVA ao Portal WSCOM ele explica o que está colocando como prioridades. A seguir:

WSCOM – O que significa presidir a FAMUP a partir de hoje diante da conjuntura estadual e nacional?

GEORGE – Para mim significa uma honra presidir a FAMUP porque estou prefeito e espero fazer o melhor pelos municípios para que a federação seja realmente a casa dos prefeitos nas suas reivindicações visando melhorar suas gestões. Na atualidade, e há tempo, as prefeituras  enfrentam muita dificuldades por conta de poucos recursos.

WSCOM – Quais são as prioridades das Prefeituras paraibanos na atualidade?

GEORGE – As principais prioridades das prefeituras passam por lutar pelo novo Pacto Federativo que será uma solução definitiva, uma vez que assim os municípios vão ter recursos pra poder custear melhor a gestão. Há também a questão ambiental no tocante aos aterros sanitários, que vamos enfrentar e tentar colocar em prática em um ano. Para isso, vamos formar Grupo de Trabalho junto ao Ministério Público para alcançar o objetivo de implantar os aterros sem ter a nescidade de ações judiciais  prejudicando os gestores. Deve-se em conta que não temos financiamento para esses projetos e dessa forma temos que colocar recursos próprios já tão excassos.

WSCOM – Como resolver o déficit financeiro para resolver de vez a Previdência?

GEORGE – Na minha opinião, só resolve a Previdência com um encontro de conta entre a Uniao e os Municípios pois a União deve a 99% dos municipios aí já teremos um alívio grande. Muitos municípios têm a receber e hoje estão pagando uma dívida que muita das vezes nem existe

Por Walter Santos do Wascom