João Pessoa 10/12/2018

Início » Cidades » Presidente do Paraguai tomará ‘medidas drásticas’ após assassinato de jovem por Marcelo Piloto, diz jornal

Presidente do Paraguai tomará ‘medidas drásticas’ após assassinato de jovem por Marcelo Piloto, diz jornal

Lidia Meza Burgos foi morta a facadas dentro do grupamento especializado da Polícia Nacional neste sábado

Marcelo Piloto é acusado de assassinar Lidia Meza Burgos – AFP / Reprodução Facebook

Assunção – O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, esteve uma reunião com o Conselho de Segurança Interna, na manhã deste domingo, para discutir o assassinato de Lidia Meza Burgos, 18 anos, pelo narcotraficante Marcelo Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, dentro do grupamento especializado da Polícia Nacional neste sábado.

Ainda segundo o jornal, o crime seria “uma medida extrema para evitar sua extradição para o Brasil”. Ele, que é apontado com um dos líderes da facção Comando Vermelho (CV), é condenado pela Justiça do Rio a uma pena de 26 anos.

Já no Paraguai, ele está preso por homicídio e falsificação de documentos, mas foi aberto um processo para sua extradição, atendendo a pedido da Justiça brasileira.

A jovem assassinada por Marcelo Piloto trabalhava como cuidadora de uma idosa de 90 anos, segundo informações do pai da vítima, Francisco Meza, ao jornal La Nación. “Ela é nossa última filha, uma das mais mimadas”, declarou o pai ao canal de notícias C9N.

Ao Última Hora, Francisco explicou que a filha trabalhava durante a semana e tinha os fins de semana livres. “Ela saía do trabalho e ia para casa, dormia com a mãe”, disse o pai emocionado ao portal de notícias. Ele acrescentou que sua filha também recebeu muito amor dele e de sua esposa.

Segundo Meza, a filha havia voltado para o Paraguai há dois meses e havia conseguido o emprego há um mês. Ela estava na Argentina, onde a família morou por alguns anos. Ele disse desconhecer o vínculo de Lida com o narcotráfico, mas assegurou ao Última Hora que não permitirá que o crime fique impune.

Os registros anteriores mostram que esta foi a segunda visita que a jovem fez ao chefe da facção criminosa. A primeira vez foi em 17 de outubro, relatou o NoticiasPy.

O brasileiro teria usado uma faca de sobremesa para golpear seguidamente a jovem Lidia Meza Burgos. Após ouvir gritos, os agentes foram ao local e encontraram a mulher ensanguentada. A vítima chegou a ser levada para o Hospital de Barrio Obrero, em Assunção, mas não resistiu. O corpo passou por perícia e foi levado ao necrotério oficial.

Juan Ernesto Villamayor, Ministro do Interior, informou a jovem foi espancada e depois recebeu mais de uma dúzia de punhaladas. O fiscal María Irene Álvarez confirmou que havia um total de 16, segundo o Última Hora.

Na última semana, Piloto havia dado uma entrevista denunciando o pagamento de propinas a autoridades policiais paraguaias em troca de proteção. Um dia após a coletiva, as autoridades do Paraguai divulgaram um vídeo em que o CV ameaça matar a procuradora-geral do Paraguai,Sandra Quiñonez, em represália à ação dela pela extradição de Marcelo Piloto.

Na segunda-feira, a advogada dele, a argentina Laura Marcela Casuso, que organizou a coletiva, foi executada, na segunda-feira, em Pedro Juan Caballero, na fronteira com o Brasil.

O Dia