Presidente sul-coreana acusa capitão de barco naufragado de assassinato

Presidente sul coreanoAs autoridades sul-coreanas prenderam hoje mais quatro membros da tripulação do barco que naufragou na última quarta-feira com 476 pessoas a bordo. Neste final de semana, o capitão Lee Joon-Seok e dois membros da tripulação já tinham sido detidos. O último balanço oficial é de 64 mortos e 238 desaparecidos. Hoje a presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, condenou o comportamento da tripulação.

A presidente sul-coreana não usou meias palavras. Park Geun-hye declarou que a atitude do capitão e de alguns membros da tripulação foi “incompreensível”, “desprovida de bom senso” e comparável a um “assassinato”. Para a presidente, essa negligência não pode ser tolerada.

As transcrições das conversas entre a cabine de comando do barco e as autoridades marítimas revelam que, assim que o barco emitiu um sinal de socorro, o capitão foi aconselhado a decidir sobre a melhor maneira de retirar os passageiros da embarcação. Mas, segundo os sobreviventes, as pessoas que estavam a bordo receberam ordens para permanecerem em seus assentos. Quando a balsa começou a afundar, já era tarde demais para conseguirem se salvar.

As gravações também indicaram que a tripulação não sabia a quantidade exata de botes salva-vidas existentes na embarcação. Parte da tripulação do barco informou ainda que nunca havia recebido treinamento de segurança.

As razões do acidente ainda não estão claras. Informações da Marinha indicam que o barco fez uma manobra brusca que pode ter desequilibrado a carga que estava no subsolo da embarcação. Com isso, o barco se desequilibrou e acabou naufragando. No momento do acidente, o comandante confirmou que não estava à frente da embarcação.

Operações de resgate

Mergulhadores retiraram neste domingo (20) 19 corpos da balsa sul-coreana que naufragou na quarta-feira com 476 pessoas a bordo, a maioria adolescentes. Até o momento, 174 pessoas foram resgatadas com vida. Do total de passageiros a bordo, mais de 350 eram estudantes da mesma escola de ensino médio na cidade de Ansan (ao sul de Seul).

Um pedido de socorro foi emitido pela embarcação por volta das 9h do horário local, 21h da terça-feira, no horário de Brasília. O acidente ocorreu a 20km da ilha de Byeongpung, no sudoeste da costa sul-coreana. O navio, que realiza o trajeto entre o porto de Incheon, no noroeste do país, e a ilha Jeju, no sudoeste, duas vezes por semana, virou e afundou em um espaço de apenas 2 horas.

A embarcação tem 146 metros de comprimento por 22 de largura e tem capacidade para transportar ao mesmo tempo 921 pessoas, 180 veículos e 152 contêineres. Ela é de fabricação japonesa e foi construída em 1994. Os números que foram confirmados até agora pelas autoridades sul-coreanas indicam que este pode ser um dos acidentes navais mais graves dos últimos 20 anos no país.