Professores em greve a 50 dias, e sem salários de maio; aprovam campanha para arrecadar alimentos em Santa Rita.

IMG_20150615_105023896_HDRA terceira cidade da Paraíba está passando por verdadeiras “provas de fogo,” principalmente os professores da rede pública municipal de Santa Rita, sem secretário de educação para administrar a pasta, com professores em greve que completa 50 dias e sem uma solução para o retorno a sala de aula, nesta segunda-feira (15) em mais uma assembleia geral avaliaram o movimento grevista e aprovaram uma campanha para arrecadar alimentos em toda Santa Rita para não morrer de fome.

Conforme o presidente do sindicato José Farias a categoria do magistério e dos que fazem o apoio da educação de Santa Rita, adotaram uma campanha na última sexta-feira (12), para afastar a crise criada pela prefeitura de Santa Rita que não quer pagar o reajuste dos servidores a quase 50 dias em greve, e para piorar ainda mais a situação, o prefeito Reginaldo Pereira bloqueou os salários que é pago pelo ‘FUNDEB’, que chaga a completar 15 dias, após o 5º dia útil, com isso deflagramos essa campanha “Adote um servidor e salve sua família” para driblar a crise para não passar fome em Santa Rita.

O presidente do sindicato revelou ainda que outras pastas da prefeitura passam pelo mesmo problema ou talvez seja pior como é o caso dos servidores da saúde municipal, que após o retorno do prefeito cassado a gestão vem consecutivamente atrasando os salários dos servidores como os médicos, enfermeiros, auxiliar de enfermagem, telefonista, gerente de unidade de saúde, agente de saúde e do PEVA, além da retirada de gratificações do SUS, periculosidade e insalubridade dos servidores que trabalham em risco, afirmou José Farias.

A campanha para arrecadar alimento foi aprovada por unanimidade pelos servidores em greve que será lançada nesta quarta-feira (17), tendo como objetivo de arrecadar alimento em toda Santa Rita, pelos próprios professores em postos volantes, aonde na oportunidade vão montar uma caravana nas Praças Getúlio Vargas e João Pessoa enfrente a Câmara Municipal e a prefeitura de Santa Rita, além das visitas ao mercado público e supermercados em toda cidade, em meios de comunicação e até na capital más precisamente no “Ponto de Cem Réis, aonde o fluxo de pessoas é intenso ”para não passar fome, disse o presidente do sindicato.

A greve deflagrada a 50 dias, tem se fortalecido a cada dia, reivindicando o reajuste de 13,01% do piso salarial e de 8,8% para os que fazem o apoio da educação de Santa Rita, que não tem nenhuma previsão para o retorno das aulas, haja vista, do diálogo fracassado do prefeito Reginaldo Pereira que insisti em dizer que não tem dinheiro, só faz o que ele quer. Com isso, a prefeitura, diga-se, de passagem que o governo federal tem repassado o recursos de FPM em dia, além dos aumentos que o repasse do ‘fundeb’ vem sofrendo consecutivamente que, a categoria não vai abrir mão de seus direitos, enquanto não apresentar uma proposta satisfatória a categoria a posição é de continuidade pela greve, declarou o sindicalista.

IMG_20150615_105103549_HDR

IMG_20150615_114415069_HDR

IMG_20150615_105014543_HDR

IMG_20150615_105039700

Lamartine do Vale, do Paraíba Urgente.