Professores municipais de João Pessoa cobram definição de reajuste salarial

sindicato danielProfessores da rede municipal de ensino de João Pessoa discutirão em assembleia às 15h00 da próxima sexta-feira na sede do Sindicato, no centro da cidade, a indefinição por parte da prefeitura quanto à pauta de reivindicações entregue pela entidade. Uma segunda reunião que estava prevista para esta quarta-feira, foi adiada, frustrando a expectativa de uma contra proposta a ser avaliada pela categoria.

Além do reajuste de 16%, retroativo a janeiro, para ativos e aposentados, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município de João Pessoa requer a atualização do pagamento do piso salarial nacional para os professores prestadores de serviço (PS) e reajuste no mesmo percentual na data base para os funcionários da educação.

Outro pleito é a modificação do PCCR para garantir o afastamento para cursar pós graduação sem perdas, com ampliação do tempo das licenças e a progressão funcional para quem está em estágio probatório.

Insatisfação crescente

O presidente do Sintem, Daniel de Assis, destacou a crescente insatisfação da categoria com essa indefinição, sobretudo diante diante do reajuste de 13,01% já concedido pelas prefeituras de várias cidades, a exemplo de Cabedelo, Campina Grande, Recife, Fortaleza, Natal e Teresina.

Ele disse que em João Pessoa a entidade cobra 16% para dar continuidade à política de valorização do magistério.”Diante disso, a assembleia irá deliberar sobre ações que serão tomadas e que podem culminar, inclusive, numa paralisação por tempo indeterminado”, advertiu.

Assessoria