Promotor diz que vai denunciar mãe por omissão na morte de Joaquim - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Promotor diz que vai denunciar mãe por omissão na morte de Joaquim

promotor contra mãeO promotor Marcus Túlio Nicolino disse ao G1 nesta quinta-feira (26) que vai denunciar a mãe do menino Joaquim, Natália Ponte, por omissão na morte da criança em Ribeirão Preto (SP). Ele alegou que voltou do recesso do Judiciário para se inteirar sobre as últimas informações do caso antes de encaminhar o pedido. Na prática, o promotor explica que, caso a Justiça acate a ação penal, Natália passará a ser considerada ré no processo que apura quem matou a criança encontrada morta no Rio Pardo, em Barretos (SP), em 10 de novembro.

O advogado de defesa de Natália, Cássio Alberto, informou que não foi informado sobre essa decisão e que ainda não tem nada a comentar. A mãe de Joaquim chegou a ficar presa como suspeita na morte do menino, mas conseguiu um habeas corpus e está em liberdade desde 11 de dezembro.

Nicolino informou que, após a entrega do inquérito da Polícia Civil, ele terá um prazo de cinco dias para se pronunciar sobre o resultado das investigações. Mesmo sem ter recebido o documento, ele afirmou ter convicção de que Natália sabia que o técnico em TI Guilherme Longo – padrasto da criança e apontado como principal suspeito pela morte de Joaquim – não tinha condições psicológicas de cuidar do menino. Por esse fato, o promotor argumenta que a mãe poderia ter evitado a morte do filho.

“Acompanhei todo o inquérito de perto. Ela [Natália] mesmo declarou por várias vezes que Guilherme era violento, era uma pessoa viciada em droga, uma pessoa emocionalmente desequilibrada. Tudo isso levava a um entendimento de que ele jamais poderia ficar a sós com a criança. Se tivesse agido com cuidado de mãe, jamais teria permitido que ele convivesse com o filho”, disse o promotor ao G1.

O encaminhamento da ação penal depende da conclusão e do encaminhamento do inquérito elaborado pelo delegado Paulo Henrique Martins de Castro, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG). Ele alegou que, até a tarde desta quinta-feira, o documento ainda não havia sido concluído.

Promotor Marcus Túlio Nicolino disse que entrará com ação penal contra mãe de Joaquim (Foto: Analídia Ferri/G1)
Promotor Marcus Túlio Nicolino disse que entrará com ação penal contra mãe de Joaquim (Foto: Analídia Ferri/G1)

G1