Proposta de pacificação da cúpula nacional do PSB dá maioria a João Azevêdo na Comissão Provisória

A cúpula nacional do PSB, juntamente com o ex-governador Ricardo Coutinho, está empenhada em contornar a crise instalada no Jardim girassol após a destituição de Edvaldo Rosas do comando do partido na Paraíba. O senador Veneziano Vital do Rêgo é a ponte entre o governador João Azevêdo, Ricardo Coutinho e a Direção Nacional.

Essa semana, Veneziano se reuniu com Carlos Siqueira e trouxe uma proposta de pacificação para Azevêdo: o governador indicaria quatros nomes da Comissão Provisória e Ricardo indicaria três. A proposta foi rejeitada por João, que ressaltou não ter interesse em questões partidárias. Com a negativa, Ricardo ofereceu o comando do partido de volta a Edvaldo Rosas, mas o governador rejeitou.

Azevêdo está, profundamente, chateado com a forma autoritária que o partido interveio na legenda. Além de não participar da reunião convocada por Siqueira, em Brasília, João tem sinalizado que não está disposto a abrir nenhum canal de diálogo com os socialistas. Vários emissários de Ricardo tem tentado uma reaproximação, mas o governador tem se distanciado cada vez mais de Coutinho.

Anderson Soares