João Pessoa 14/12/2018

Início » Notícias » Proposta de Reforma da Previdência que inclui militares recebe críticas de vice eleito

Proposta de Reforma da Previdência que inclui militares recebe críticas de vice eleito

General Hamilton Mourão diz que Reforma da Previdência que inclui militares não vai funcionar

Hamilton Mourão, general e vice de Bolsonaro – Renato Gizzi/Parceiro/Agência O Dia

Rio – A proposta alternativa de Reforma da Previdência apresentada ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) que, entre outros pontos, faz as mulheres trabalharem mais para se aposentar e também inclui os militares em um sistema unificado recebeu críticas do vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão (PRTB). Segundo a coluna da jornalista Mônica Bergamo, da ‘Folha de SP, o militar reclamou e afirmou que “esse troço não funciona”, sobre a possibilidade deles se aposentarem mais cedo, aos 45 anos.

Conforme O DIA informou ontem, pela proposta gestada pelos economistas Armínio Fraga e Paulo Tafner e encaminhada a Bolsonaro, militares das Forças Armadas, que ficaram de fora da PEC 287 parada no Congresso, não precisam cumprir idade mínima, mas receberão benefício proporcional ao tempo de serviço.

Quem migrar à reserva cedo deixará de ganhar parte do valor da ativa. Outro ponto que atinge em cheio o bolso da caserna é a alíquota previdenciária, que passará de 7,5% para 11%, sendo aumentada meio ponto percentual a cada ano.

De acordo com a colunista, Mourão argumentou que “com 45 anos, (o militar) nem chegou a coronel. Como vai mandá-lo para casa?”, ressaltando ser “preciso conhecer as especificidades da carreira”.

A reação veio também do ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, que garantiu que as Forças Armadas apresentarão uma proposta de Reforma da Previdência. Ele disse que o estudo estaria pronto para ser apresentado ao presidente eleito. A ideia seria ampliar de 30 anos para 35 anos o tempo de permanência dos militares na ativa.

O Dia