Protesto dos bancários fecha Epitácio; carro preso no engarrafamento pega fogo - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Protesto dos bancários fecha Epitácio; carro preso no engarrafamento pega fogo

fogo umBancários fizeram um novo protesto na avenida Epitácio Pessoa e fecharam o trânsito no sentido Praia/Centro, no começo da noite desta quarta-feira (9). Os manifestantes utilizaram pneus e objetos para tocar fogo e interditar a via. Devido ao congestionamento, um carro apresentou super aquecimento e acabou pegando fogo, próximo ao local da movimentação.Segundo informações da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob), os bancários permaneceram na avenida por cerca de duas horas e só liberaram o trânsito após a chegada do órgão. O Corpo de Bombeiros foi acionado para conter as chamas provocadas pela manifestação.

Minutos depois de liberar o tráfego e do incêndio na pista ter sido apagado, um carro que estava no congestionamento não suportou o calor, apresentou um problema e pegou fogo.

Agentes da Semob informam que as chamas danificaram uma grande parte do veículo. O problema só não foi mais grave porque os bombeiros já estavam no local e rapidamente controlaram o incêndio no automóvel. O engarrafamento ficou temporariamente mais complicado porque uma faixa de um dos sentidos foi ocupada pela viatura e a outra, do sentido contrário, pelo veículo em chamas.

Os agentes falam também que não houve registro de pessoas feridas e a circulação na Epitácio foi normalizada por volta das 19h.

Greve dos bancários

O vigésimo primeiro dia de greve dos bancários teve mais uma manifestação, dessa vez às 17h, na Avenida Epitácio Pessoa, em frente à agência do Itaú, nas proximidades do prédio da Receita Federal.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcos Henriques, os presidentes dos bancos foram representados por cinco bonecos ‘enforcados’ como uma maneira de dizer um basta à pressão que os trabalhadores são submetidos diariamente. Melhores condições de trabalho, com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoece os bancários são algumas das principais reivindicações dos bancários.

Em assembleia, na última segunda-feira (7), os bancários decidiram dar continuidade a greve porque consideraram que a proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), na sexta-feira (4) não atende às reivindicações econômicas e sociais da categoria. Apenas 15 agências do Bradesco e Santander estão funcionando, sob ordem judicial.

A proposta dos bancos rejeitada pelos bancários

> Reajuste: 7,1% (0,97% de aumento real).

> Pisos: Reajuste de 7,5% (ganho real de 1,34%).

– Piso de portaria após 90 dias: R$ 1.138,38.

– Piso de escriturário após 90 dias: R$ 1.632,93.

– Piso de caixa após 90 dias: R$ 2.209,01 (que inclui R$ 391,13 de gratificação de caixa e R$ 184,95 de outras verbas).

> PLR regra básica: 90% do salário mais valor fixo de R$ 1.694,00 (reajuste de 10%), limitado a R$ 9.011,76.

> PLR parcela adicional: 2% do lucro líquido distribuídos linearmente, limitado a R$ 3.388,00 (10% de reajuste).

> Auxílio-refeição: de R$ 21,46 para R$ 22,98 por dia.

> Cesta-alimentação: de R$ 367,92 para R$ 394,04.

> 13ª cesta-alimentação: de R$ 367,92 para R$ 394,04.

> Auxílio-creche/babá: de R$ 306,21 para R$ 327,95 (para filhos até 71 meses). E de R$ 261,95 para R$ 280,55 (para filhos até 83 meses)

> Adiantamento emergencial – Não devolução do adiantamento emergencial de salário para os afastados que recebem alta do INSS e são considerados inaptos pelo médico do trabalho em caso de recurso administrativo não aceito pelo INSS.

> Prevenção de conflitos no ambiente de trabalho – Redução do prazo de 60 para 45 dias para resposta dos bancos às denúncias encaminhadas pelos sindicatos, além de reunião específica com a Fenaban para discutir aprimoramento do programa.

> Adoecimento de bancários – Constituição de grupo de trabalho, com nível político e técnico, para analisar as causas dos afastamentos.

> Inovações tecnológicas – Realização, em data a ser definida, de um Seminário sobre Tendências da Tecnologia no Cenário Bancário Mundial.

As principais reivindicações dos bancários

> Reajuste salarial de 11,93% (5% de aumento real além da inflação)

> PLR: três salários mais R$ 5.553,15.

> Piso: R$ 2.860,21 (salário mínimo do Dieese).

> Auxílios alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$ 678 ao mês para cada (salário mínimo nacional).

> Melhores condições de trabalho, com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoece os bancários.

> Emprego: fim das demissões, mais contratações, aumento da inclusão bancária, combate às terceirizações, especialmente ao PL 4330 que precariza as condições de trabalho, além da aplicação da Convenção 158 da OIT, que proíbe as dispensas sem motivadas.

> Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para todos os bancários.

> Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós-graduação.

> Prevenção contra assaltos e sequestros, com o fim da guarda das chaves de cofres e agências por bancários.

> Igualdade de oportunidades para bancários e bancárias, com a contratação de pelo menos 20% de negros e negras.

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS