Público lamenta morte de Zé Alfredo em ‘Império’, mas elogia final surpreendente

morte de zeDe nada adiantaram os panelaços, chiliques e abaixo-assinados: Aguinaldo Silva matou mesmo José Alfredo (Alexandre Nero) no último capítulo de “Império”, na noite desta sexta-feira, como adiantou a colunista Carla Bittencourt em 4 de março. E, danado que é, o autor ainda transformou o homem de preto em fantasma.

— O comendador foi a alegria da novela. O povo gostou dele porque era um homem que comia buchada de bode. Não era qualquer um! E o Nero trabalha muito bem. Soube representar o nordestino. Fiquei muito triste com a morte dele, mas gostei que tenha virado fantasma. Vou até comer buchada de bode em sua homenagem — brincou a cearense Delzuite Matias, de 64 anos, uma das pessoas que lotaram o quiosque Globo, na Praia de Copacabana (Zona Sul do Rio), para assistir ao fim da novela.

Já o pintor Washington Melo, de 40 anos, ficou bem decepcionado com o desfecho do personagem:

— Ele deveria ficar vivo e cuidando da família. Afinal, sempre fez isso. Mas tenho que admitir que os atores foram excelentes. Destaque para Lilia (Cabral, a Maria Marta) e para Nero.

No desfecho da trama, Zé Alfredo foi com seu fiel escudeiro Josué (Roberto Birindelli) salvar a filha Cristina (Leandra Leal) das mãos de Silviano (Othon Bastos), Maurílio (Carmo Dalla Vechia) e José Pedro (Caio Blat), seu próprio filho. Numa sequência de prender a respiração, o comendador é quase baleado por Maurílio, mas mata o ex-amante de Maria Marta. Silviano, que arquitetou todo o plano contra o homem de preto, é morto em seguida pelas mãos de Josué. Após quase atirar contra o próprio filho, Zé tem uma briga feia com Zé Pedro e decide partir com Josué e Cris. Mas leva um tiro pelas costas e cai sem vida.

As cinzas de Zé Alfredo são jogadas no Monte Roraima pelas mulheres de sua vida, Marta, Cristina, Isis (Marina Ruy Barbosa) e Maria Clara (Andreia Horta). Após oito anos, a família se reúne para uma foto e, da janela da mansão, eis que surge o fantasma do comendador, alisando o bigode, marca do personagem durante toda a novela.

— Fiquei muito frustrada com a morte dele, mas foi um final diferente. Tinha a expectativa de que acontecesse algo, mas valeu — elogiou a blogueira Thainá Sodré, de 21 anos, choramingando no ombro do marido, o programador Frederick Silva, de 23.

— Achei o final inovador. E a ideia da foto foi bem legal! Só queria ele vivo — ponderou o programador.