Putin recebe a líder da extrema-direita francesa Marine Le Pen no Kremlin

O presidente russo Vladimir Putin recebeu nesta sexta-feira, pela primeira vez no Kremlin, a líder da extrema-direita francesa e candidata Marine Le Pen.putnik

O presidente russo, Vladimir Putin, recebeu nesta sexta-feira (24) a líder da extrema-direita francesa e candidata à presidência, Marine Le Pen, no Kremlin. O chefe de Estado assegurou, no entanto, que “de nenhuma forma” quer passar a impressão de estar interferindo na eleição presidencial da França, cujo primeiro turno será realizado no dia 23 de abril.

Em Moscou, Marine Le Pen encontrou parlamentares nesta manhã e, em sua agenda, não estava prevista uma reunião com o presidente russo. No entanto, logo após visitar uma exposição no museu do Kremlin, imagens da líder da extrema-direita francesa ao lado de Vladimir Putin começaram a ser transmitidas pelos canais públicos russos.

Citado por agências de notícias do país, o presidente russo afirmou que a reunião com Marine Le Pen não indica necessariamente um apoio à sua candidatura. “Não queremos, de nenhuma forma, influenciar a eleição, mas nos reservamos o direito de comunicar com representantes de todas as forças políticas do país, como fazem nossos parceiros europeus ou dos Estados Unidos”, disse Putin.

Receber um candidato presidencial em uma data tão próxima da votação é algo excepcional no Kremlin. Segundo o costume e protocolo, o líder russo deveria se reunir apenas com chefes de Estado ou de governo. Putin justificou o encontro, dizendo que considera importante encontrar a líder da extrema-direita para falar sobre relações bilaterais e a situação na Europa. “Eu sei que você representa uma força política europeia que se desenvolve rapidamente“, afirmou Putin, dirigindo-se à Marine Le Pen.

Putin representa uma “nova visão”

A candidata da Frente Nacional, que aprova decisões da Rússia, como a anexação da península da Crimeia, não poupou elogios a seu anfitrião que, segundo ela, “representa uma nova visão” do mundo. “Defendo um mundo multipolar e a cooperação entre as nações livres. Penso que ele [Vladimir Putin] representa essa nova visão”, disse aos jornalistas em Moscou após o encontro.

Se for eleita, Marine Le Pen disse estar disposta a desenvolver relações com a Rússia, “dentro da longa história que une nossos países”. A candidata chegou a liderar as pesquisas de intenção de voto para o primeiro turno da eleição, mas, nas últimas semanas, está a um ponto atrás do centrista Emmanuel Macron.

Noticiário Francês