Pyongyang ameaça EUA, enquanto aviões americanos se aproximam da Coreia do Norte

Bombardeiros B-1 Lancer escoltados por caças F-15.Air Staff Office of the Defense Ministry of Japan/HANDOUT

No momento em que o regime de Kim Jong-Un volta a ameaçar um ataque contra os Estados Unidos, bombardeiros B-1 Lancer da Força Aérea norte-americana sobrevoaram neste sábado (23) o mar do Japão, aproximando-se da costa leste da Coreia do Norte.

Desde o ano 2000 bombardeiros americanos, escoltados por caças F-15, não voavam tão ao norte da Zona Desmilitarizada entre as duas Coreias.

“Uma mensagem clara que o presidente Donald Trump dispõe de numerosas opções militares para descartar toda e qualquer ameaça”, anunciou o porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

“Esse exercício demonstra como estamos levando a sério o comportamento irresponsável (do regime norte-coreano)”, sublinhou Dana White, porta-voz do Pentágono.

Rocket Man

Enquanto isso, em Nova York, o ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong-Ho, discursou na Assembleia Geral das Nações Unidas, dizendo que o “objetivo último” da Coreia do Norte é alcançar um equilíbrio de forças com os Estados Unidos.

Donald Trump “cometeu uma falta irreparável” ao apelidar o líder Kim Jong-Un de “Rocket Man” (Homem Foguete, em português), alertou o ministro. Essa falta tornou “o lançamento de mísseis sobre o território norte-americano cada vez mais provável”, ameaçou.

Segundo o ministro, o discurso de Donald Trump na Assembleia Geral da ONU foi “irresponsável e violento”. Trump teria tentado transformar a Assembleia numa “alcova de gângsteres onde só o dinheiro é respeitado e o banho de sangue está na ordem do dia”, disse Ri Yong-Ho. Mas somente o presidente americano se engajou nesta “missão suicida”, completou o ministro, fazendo referência ao termo já empregado por Trump contra Kim Jong-Un.

“Os Estados Unidos esperam em vão que as sanções econômicas mais duras impostas à Coreia do Norte possam modificar a nossa posição”, garantiu o ministro norte-coreano, alegando ainda que seu país está a poucos passos de alcançar o seu objetivo com relação ao seu arsenal nuclear.

Noticiário Francês